sexta-feira, 6 de novembro de 2009

UM ZERO À POLITICAGEM

A politicagem é suja
Imbecil e odienta
É cínica e intolerável
Falsa, invejosa e nojenta
E pode ser comparada
À ferida peçonhenta.

É uma peste que vem
Da era Paleolítica
Os seus efeitos estão
Abaixo de qualquer crítica
É um verme perigoso
Destruidor da política.

Nosso saudoso Cazuza
Em uma música dizia
Que a burguesia era má
Era avarenta e fedia
Só que a politicagem
Fede mais que a burguesia.

A politicagem é cega
É ranzinza e é mesquinha
Adepta da baixaria
Com o fuxico se alinha
Sendo da sociedade
A pior erva daninha.

Por ser assim tão nociva
Egoísta e vulnerável
Hipócrita, maliciosa
De sadismo imensurável
Ela deveria ser
Por todos abominável.

Um jeito para os políticos
Banirem a picaretagem
Era se todos criassem
Mais vergonha, mais coragem
Ah se isso eles fizessem
E de uma vez todos dessem
Um zero à politicagem.

Um comentário:

I wanna do bad things with you. CARPE DIEM disse...

Fiquei emocionado em ver tamanha destreza com as palavras regionalistas de forma poetica...parabens...