domingo, 23 de abril de 2017

SER ASSIM DESSE JEITO

A pessoa que se autoavalia
Não vai ter consciência constrangida
Porque quer fazer quase todo dia
Uma autoanálise em sua vida.

Caminhando no tempo vai crescendo
Pra vencer empecilhos busca a fé
Passo a passo assim vai percebendo
A personalidade como é.

Revestida de boa educação
Tem firmeza nas suas atitudes
Está sempre a serviço do irmão
Pela força dos dons e das virtudes.

Mas não é tão comum que as pessoas
Tenham esse perfil em crescimento
Numa prática constante de ações boas
Apoiadas num bom comportamento.

Para isso é necessário ter
Compromisso com a fraternidade
Ser assim desse jeito tem que ser
Abastado de muita alteridade.

Autor: Zé Bezerra



terça-feira, 18 de abril de 2017

BELEZAS NATURAIS













 
O campo aromatizado
A verdejante floresta
Toda a passarada em festa
Num juazeiro copado
O horizonte azulado
As paisagens do sertão
A beleza do pavão
O cheiro que as flores têm
Essas coisas fazem bem
Aos olhos e ao coração.

O despontar da aurora
A manhã primaveril
O céu da cor de anil
Toda a beleza da flora
O sol com raios de fora
A lua com seu clarão
A água molhando chão
Na hora que a chuva vem
Essas coisas fazem bem 
Aos olhos e ao coração.

Os diferentes lugares
Os jardins e seus aromas
Ecossistemas, biomas
Montanhas, vales, pomares
Cachoeiras, rios, mares
Planeta, constelação
Os astros na amplidão
Estrelas que estão além
Essas coisas fazem bem
Aos olhos e ao coração.

Autor: Zé Bezerra


segunda-feira, 17 de abril de 2017

CRISTO RESSUSCITADO
















O cristão comprometido
Ele busca e acha Deus
Nunca sente-se perdido
Perante os problemas seus
Com fé e gratuidade
Tem disponibilidade
Do mais fraco é aliado
De discípulo dá a prova
E anuncia a boa nova
Do Cristo Ressuscitado.

Da comodidade sai
Para assumir compromisso
Na direção certa vai
Disposto a prestar serviço
Faz parte do dia a dia
Humildade e harmonia
Procura estar motivado
Na comunidade unida
Para celebrar a vida
Do Cristo Ressuscitado.

Sempre na hora precisa
Sem desânimo, sem preguiça
Orienta, evangeliza
Mostra de Deus a justiça
Fala da ressurreição
Ensina que o cristão
Pela Páscoa é renovado
E a nova luz irradia
Na festa da alegria
Do Cristo Ressuscitado.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 8 de abril de 2017

MANIFESTO




















Viemos à praça pública
Sem precisar de escolta
Mostrar a nossa revolta
Nossa insatisfação
Nossa manifestação
Contra a ação imprudente
De um governo inconsequente
Que prejudica a nação.

O nosso protesto é contra
Senadores, deputados
Indivíduos detestados
Burgueses sem coerência
Vamos ter mais consciência
Dando o troco, sim senhor
Aos que votarem a favor
Da PEC da Previdência.

São falsos representantes
Que não respeitam ninguém
São sujeitos que só vêm
Nos decepcionar
Nas urnas vamos cassar
Deputado e senador
Que quer que o trabalhador
Morra sem se aposentar.

Somos contra os abusos
Descasos e desrespeitos
Aos legítimos direitos
Pelas lutas conquistados
Pelas leis assegurados
E agora em tempos críticos
Esses péssimos políticos
Querem que sejam acabados.

Não fomos nós, foram eles
Que quebraram a Previdência
Devido a incompetência
A desorganização
Dá tanta indignação
A prática de cambalacho
No Brasil de cima a baixo
Tem propina e corrupção.

Acabam concursos públicos
Com a terceirização
É tanta aberração
Visando um falso progresso
É horrível o retrocesso
Num tempo de derrocada
A nação é massacrada
Pela máfia do Congresso.

Com crise de segurança

E aumento da violência
Não dá pra ter paciência
Não dá pra se acomodar
Precisamos protestar
Dias, meses e semanas
Pras reformas desumanas
Irem pra o fundo do mar.

De olho nas consequências
Da medida repressora
A classe trabalhadora
Deve está mobilizada
Não pode ficar parada
Nem que chova canivete
Pra PEC dois, oito, sete
Não vir a ser aprovada.

Temos que ser vigilantes
Acompanhar com rigor
Deputado ou senador
Que a favor dela votar
Desse nós vamos cassar
Sua ficha, seu ingresso
Nunca mais para o Congresso
Esse infeliz vai voltar.

E o antipático senhor
Que está sendo presidente
É inimigo do povo
Zomba da cara da gente
Com a PEC da maldade
Sua popularidade
Não chega a cinco por cento
Só nos traz constrangimento
Junto com seus aliados
Todos vão ter que sair
O reinado vai cair
Seus dias estão contados.


Autor: Zé Bezerra





 

quinta-feira, 30 de março de 2017

NAS ENTRELINHAS DA VIDA












 
As fases da existência
Os diferentes caminhos
As formas de convivência
Pedras, rosas, os espinhos
As lutas, as omissões
Aventuras, ilusões
Os afazeres da lida
Ideais, sonhos, enredos
As esperanças, os medos
Nas entrelinhas da vida.

Desejos e incertezas
Impactos e desafetos
Acusações e defesas
Planejamentos, projetos
Aflições, ansiedades
Mesmices e novidades
Batalha ganha ou perdida
Desafios e dilemas
Dificuldades, problemas
Nas entrelinhas da vida.

Os defeitos, as virtudes
A partilha, o egoísmo
Decisões e atitudes
A descrença, o otimismo
As derrotas, as vitórias
Demarcações, divisórias
Uma memória esquecida
Recuos e sobressaltos
As quedas, os pontos altos
Nas entrelinhas da vida.

Existem ganhos e danos
Prazeres, festas e cruzes
Vontades, buscas e planos
Abismos, trevas e luzes
Espancamentos, abraços
Há sucessos e fracassos
Tem numa ação escondida
Segredos não revelados
Que podem ser enxergados
Nas entrelinhas da vida. 

Autor: Zé Bezerra







quarta-feira, 29 de março de 2017

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

















Entende-se que a escola
É um ambiente de paz
De relacionamentos
Fraternos e cordiais
E de concórdia também
Para desenvolver bem
Ações educacionais.

Esse convívio sadio
Precisa a escola ter
Nela o professor ensina
Para o aluno aprender
A paz sendo preservada
Boa educação é dada
E tem sucesso o saber.

A busca pelo saber
Na vida é uma exigência
Por isso que a escola
De todos tem preferência
Se seu papel tem valia
Nela jamais deveria
Acontecer violência.

O cúmulo do absurdo
Seja no sul ou no norte
É uma escola ser palco
De briga e conflito forte
Desacato e confusão
Pânico, tumulto, agressão
E até casos de morte.

Esses fatos na escola
Não eram pra ter lugar
Essa instituição
É feita para educar
Tendo meta definida
Boa formação pra vida
Nela devemos buscar.

Infelizmente num mundo
Carente de amor e paz
As escolas não escapam
Das ações dos marginais
Essa coisa tão pior
A violência, a maior
Das mazelas sociais.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 25 de março de 2017

VIVER ASSIM VALE A PENA

Use sua consciência
Não agrida, não exclua
Respeite a vida do outro
Para estar bem com a sua.

Não discrimine, não cause
Constrangimento a alguém
Seja feliz vendo os outros
Serem felizes também.

Agradeça sempre a Deus
Pela sua existência
Procure viver a vida
Sem praticar violência.

Seja sensato e encare
A vida como ela é
Sempre abasteça seu ser
De esperança e de fé.

No amor encontre a luz
Que a cada momento brilha
Valorize cada ação
De serviço e de partilha.

Enfim seja um ser humano
Feliz na vida terrena
E aos poucos perceba que
Viver assim vale a pena.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 24 de março de 2017

FAZER DA VIDA UM DOM DE AMOR

O papa Francisco é cheio
De sabedoria e luz
Motiva cada cristão
A carregar sua cruz
Já que é um requisito
Para seguir a Jesus.

Neste tempo quaresmal
Compete a cada cristão
Em Cristo e seu Evangelho
Buscar a transformação
Mudando no dia a dia
A mente e o coração.

Ouvindo e praticando
A Palavra do Senhor
Mantendo o firme propósito
De ser o seu seguidor
Fazendo da sua vida
Para o outro, um dom de amor.

Converter-se de verdade
É despojar-se e mudar
Libertando-se do ódio
Dispondo-se a perdoar
Que no caminho de Cristo
Só anda quem sabe amar.

Carregar a cruz implica
Renúncia e fidelidade
E para isso ser feito
Há sempre dificuldade
Mas Jesus compensa dando
A plena felicidade.

Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 23 de março de 2017

A PERDA DO COSTUME DE VIVER












 
A pessoa que fica entristecida
Por um fato que venha  acontecer
Não resiste aos impactos negativos
Assim vai aumentando o seu sofrer
Mergulhada em tristeza e amargura
Vai perdendo costume de viver.

Sendo forte o estado depressivo
Está sempre aumentando o desprazer
Com a autoestima estando em queda
Fica o quadro ruim de soerguer
Quem se encontra em tal situação
Vai perdendo o costume de viver.

As preocupações e os estresses
Têm mais chances de assim permanecer
Junto àquele indivíduo bem nervoso
Que às vezes não sabe se conter
E diante de algumas turbulências
Vai perdendo o costume de viver.

Isso é independente da idade
Que qualquer ser humano possa ter
Se o psicológico é abalado
Não é fácil o problema resolver
Sempre aquele que sofre esses transtornos
Vai perdendo o costume de viver. 

Autor: Zé Bezerra



terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

TODOS MERECEM VIVER













Seres vivos em geral
Cada espécie dividida
Nos reinos em que há vida
Animal e vegetal
Pelo ciclo natural
Tem início cada ser
No momento de nascer
Depois morre com certeza
Pela lei da natureza
Todos merecem viver.

Toda criatura viva
Tem esse merecimento
Mesmo tendo sofrimento
Cada vida é positiva
E significativa
Respeitada deve ser
Para o ente vivo ter
Como viver de verdade
Porque com dignidade
Todos merecem viver.

Na existência terrena
A vida material
É própria de cada qual
Devendo ser digna e plena
Porque viver vale a pena
Jamais deixa de valer
É um crime interromper
Um direito tão profundo
Em qualquer lugar do mundo
Todos merecem viver.

Portanto viva e permita
O outro viver também
Lembre-se que vive bem
Quem em Jesus acredita
Quem serve a quem necessita
Quem ao outro dá prazer
Quem diminui o sofrer
Do infeliz da sargeta
Já que em nosso planeta
Todos merecem viver.

Autor: Zé Bezerra




sábado, 25 de fevereiro de 2017

A FOLIA É DO POVÃO
















No Brasil, quando ainda era Colônia
No comando do rei de Portugal
Foi então nesse tempo que o povo
Começou a brincar o carnaval.

Toda a classe sofrida e dominada
Nesses dias pra terem diversão
Tinha que receber dos poderosos
Uma espécie de autorização.

Recebendo o apoio do Império
Desde o sábado até a terça-feira
Vinham grupos com suas fantasias
Blocos de carnaval do Zé Pereira.

Na Bahia saía o povo negro
Exibindo cordões e afoxés
No Recife era a vez dos capoeiras
Que no frevo ganhavam nota dez.

É nas grandes metrópoles brasileiras
Que as escolas de samba vêm mostrar
Carnaval luxuoso das elites
Em sambódromo famoso a desfilar
Mas os blocos atraem a multidão
Já que a grande folia é do povão
Nessa festa animada e popular.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

NOVO TEMPO, NOVA VIDA
















Estão se concretizando
Desejos e esperanças
Com as benéficas mudanças
Acontecidas no clima
Vai o campo enverdecendo
Com a terra absorvendo
A chuva que cai de cima.

A impiedosa seca
Com seus aspectos estranhos
Que dizimou os rebanhos
Aos poucos vai embora
A chuva a todos conforta
E a vegetação morta
Renasce a partir de agora.

E o período chuvoso
Vai o tempo transformando
Com a paisagem ficando
Atraente e multicor
Cheia de encanto e beleza
No quadro da natureza
Feito pelo Criador.

Os reservatórios d'água
Vão ficando abastecidos
Todos os campos floridos
O planalto, o vale, a serra
Vestem-se de verde terno
Com as chuvadas de inverno
Banhando a face da terrra.

Com isso a fome e a sede
Dos animais vão sumindo
Novas portas vão se abrindo
Com o fim da seca selvagem
Tem lama e tem atoleiro
Gado não quer mais cardeiro
Em todo canto há pastagem.

Após cinco longos anos
De seca devoradora
No campo vai ter lavoura
Por um prodígio divino
E Deus concede em seguida
Novo tempo, nova vida
Para o povo nordestino.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O QUE A IDADE NÃO LIMITA















Não existem limites pra sonhar
Por não ser uma prática temporária
Já que não está presa à faixa etária
Ninguém deve querer quantificar
Tudo  aquilo que a gente desejar
Deve ser com a plena liberdade
Sem estorvo, sem contrariedade
Evitando que ocorram frustrações
Para sonhos, desejos e ilusões
Não existem limites de idade.

Pode um jovem tornar-se iludido
Porque não satisfaz os seus desejos
E um adulto frustrado sem ensejos
Perde a calma ficando enraivecido
Vê-se um adolescente aborrecido
Estranhando qualquer dificuldade
E um idoso bem cheio de vontade
Luta em busca de realizações
Para sonhos, desejos e ilusões
Não existem limites de idade.

Importante é que a boa autoestima
Da pessoa procure ser mantida
E nas fases sequenciais da vida
A personalidade esteja acima
Visto que a velhice se aproxima
Isso não represente ambiguidade
Nem desgaste a personalidade
Sem conflitos e sem reclamações
Para sonhos, desejos e ilusões
Não existem limites de idade.

Autor: Zé Bezerra



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

FOCANDO O TEMPO PRESENTE
















Procure viver a vida
Controlando os sentimentos
Ora dando passos lentos
Ora apressadamente
Sem ficar indiferente
Aos dons que Deus lhe tem dado
Não chore por seu passado
Lute pelo seu presente.

Se pensa em viver melhor
Veja que o tempo mudou
Aquilo que já passou
Permanece só na mente
Se saudade a gente sente
No peito tudo é guardado
Não chore por seu passado
Lute pelo seu presente.

O passado deve estar
Servindo de experiência
Mas a nossa consciência
Deve indicar que a gente
Tem que pensar diferente
Porque tudo está mudado
Não chores por seu passado
Lute pelo seu presente.

O tempo que já se foi
Esse não volta jamais
O que ficou para trás
Não pode vir para frente
O momento atualmente
Deve ser priorizado
Não chore por seu passado
Lute pelo seu presente.

Trabalhe e se organize
Elabore seus projetos
Por resultados concretos
Batalhe diariamente
Quando estiver descontente
Não fique desanimado
Não chore por seu passado
Lute pelo seu presente.

Autor Zé Bezerra


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

BARREIRAS DO MEDO















Recuamos muitas vezes
Quando a carga está pendida
Com o desânimo impedindo
De achar uma saída
Bons frutos pouco colhemos
Geralmente porque temos
Medo de encarar a vida.

Pela falta de coragem
A dificuldade aumenta
Diante dos desafios
Quem é medroso não tenta
Não busca o que está querendo
E assim vai percebendo
O que o medo representa.

Por medo, os objetivos
Deixam de ser alcançados
Muitos planos são desfeitos
Caminhos são desviados
Nesses atos enfadonhos
Os mais importantes sonhos
Jamais são realizados.

Com medo ninguém investe
Em negócios pra lucrar
Não enfrenta a concorrência
Desiste de estudar
Teme as dificuldades
E as oportunidades
Não consegue aproveitar.

Quem tem medo, seus desejos
Não pode satisfazer
Não conquista uma vitória
A tudo fica a temer
Hoje como vive o povo
Quem tiver medo do novo
Está ruim pra viver.

É bom que se compreenda
Da vida todo segredo
E para saber vivê-la
Tem que aprender logo cedo
O rumo certo a tomar
Para poder derrubar
Essas barreiras do medo.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

UM BANHO DE NATUREZA















Senti a necessidade
De ir a um ambiente
Natural e diferente
Sem barulho de cidade
Cheio de tranquilidade
Ótimo para descansar
Encontrei esse lugar
Distante de Fortaleza
Um banho de natureza
Eu precisava tomar.

Uma natureza amada
Bem cuidada e protegida
Com cem por cento de vida
Sem floresta desmatada
Sem água contaminada
Sem poluição no ar
Onde o homem quer estar
Agindo em sua defesa
Um banho de natureza
Eu precisava tomar.

Um pouco longe daqui
Afastado do sertão
Sem desertificação
Sem jurema e calombi
Há um oásis ali
Onde a neve vem pousar
No verde a predominar
A água faz correnteza
Um banho de natureza
Eu precisava tomar.

Passei apenas três dias
Nesse lugar diferente
Sem seca, sem clima quente
Com bosques e serranias
Onde as noites são bem frias
E deslumbrante o luar
Em que se respira o ar
Da mais sublime pureza
Um banho de natureza
Eu precisava tomar.

Quem vai na certa não erra
Sendo feliz não se zanga
Fui até Guaramiranga
Pacoti, Linha da Serra
Pude pisar numa terra
Que fica longe do mar
Observei um lugar
De maravilha e riqueza
Um banho de natureza
Eu precisava tomar.

Palmeiras e mangueirais
Eucaliptos gigantes
Arvoredos verdejantes
Ingazeiras, pinheirais
Algarobas, bambuzais
Que flora espetacular!
Flores enchendo o pomar
De perfume e de beleza
Um banho de natureza 
Eu precisava tomar.

Vi ali os juritis
Canários, xexéus, pardais
Rouxinois e sabiás
Azulões e colibris
Vi maritaca e perdiz
Vi a jaçanã voar
A asa branca cantar
E o arrulho da burguesa
Um banho de natureza 
Eu precisava tomar.

Autor: Zé Bezerra









sábado, 14 de janeiro de 2017

COLHEMOS O QUE PLANTAMOS
















Um adágio de verdade
Que aflora o pensamento
Diz que ao se plantar vento
Vai se colher tempestade
E isso é realidade
Discutir não adianta
É uma certeza tanta
De teor absoluto
Na vida se colhe o fruto
Da semente que se planta.

A semente do amor
Plantada no coração
Gera paz e mansidão
E espírito acolhedor
Alegria, bom humor
Que a autoestima levanta
O bem ao mal espanta
Tendo a fé como produto
Na vida se colhe o fruto
da semente que se planta.

Mas se o ódio é semeado
É cruel a consequência
Briga, intriga e violência
Em um mundo conturbado
Pelo conflito gerado
Que amedronta e desencanta
A maldade se agiganta
Crescendo a cada minuto
Na vida se colhe o fruto
Da semente que se planta.

Autor: Zé Bezerra


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

NA CAÇA DAS ILUSÕES


















Sigo e atravesso a ponte
Na caminhada sozinho
Vou procurando o caminho
Sinto sede, vou à fonte
Bebo água, subo o monte
Olho do dia os clarões
Cheio de contradições
Desço a serra, venho embora
Enquanto vejo a aurora
Fico caçando ilusões.

Numa madrugada fria
Após despertar do leito
A saudade aperta o peito
Aumentando a nostalgia
Antes que amanheça o dia
Vêm muitas recordações
No silêncio, as emoções
Movem quem suspira e chora
Enquanto vejo a aurora
Fico caçando ilusões.

É assim que o meu sonho
Transforma-se em pesadelo
Se tento compreendê-lo
Fico ainda mais tristonho
O dia a dia enfadonho
Não traz modificações
Somente as decepções
Vão ficando até agora
Enquanto vejo a aurora
Fico caçando ilusões.

Poderia eu estar
Contemplando a alvorada
Ouvindo da passarada
Um canto espetacular
Exposto à  luz do luar
Sem ter preocupações
Mas as minhas opções
Do prazer me deixam fora
Enquanto vejo a aurora
Fico caçando ilusões.

Autor: Zé Bezerra




segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

A LEGÍTIMA PAZ


















 
A pura felicidade
Permanece em qualquer hora
Onde houver paz ela mora
Recheada de amizade
Amor e fraternidade
Espírito de doação
Diálogo e compreensão
Para praticar o bem
Só vive feliz quem tem
A paz no seu coração.

Alguém que tem muita grana
Dos bons lucros obtidos
Negócios bem sucedidos
No campo e na zona urbana
Acha que a vida é bacana
Porque tem mais de um milhão
Mas se houver ambição
Seu bem estar fica além
Só vive feliz quem tem
A paz no seu coração.

Quem tem coração fechado
A arrogância o inflama
Odeia porque não ama
De orgulho é dominado
Está aos bens apegado
Sentindo perturbação
Por nunca ter compaixão
Do sofrimento de alguém
Só vive feliz quem tem
A paz no seu coração.

Quem sofre e não se maldiz
Quem ama, quem abençoa
Quem tolera, quem perdoa
Quem corta o mal na raiz
Quem quer bem aos guris
Quem respeita o ancião
Quem ao faminto dá pão
Quem não briga com ninguém
Só vive feliz quem tem
A paz no seu coração.

Autor: Zé Bezerra