sábado, 24 de junho de 2017

RESPEITE OS DIREITOS DO IDOSO

















Por lei, a pessoa idosa
Tem direitos garantidos
Que precisam ser cumpridos
De forma criteriosa
Essa é lei é rigorosa
Para punir os culpados
Pelos atos praticados
Fazendo um velho sofrer
O idoso tem que ter
Seus direitos respeitados.

São diversos os direitos
Que cada idoso tem
Que é para viver bem
Obtendo mais proveitos
Descasos e preconceitos
Precisam estar afastados
Mais atenção e cuidados
Isso sim tem que haver
O idoso tem que ter
Seus direitos respeitados.

Idoso tem preferência
Na hora do atendimento
Não deve em nenhum momento
Acontecer negligência
Por parte da assistência
E dos serviços prestados
Sujeitos são processados
Se a omissão ocorrer
O idoso tem que ter
Seus direitos respeitados.

O Estatuto em vigor
Vem garantir as conquistas
Que não podem ser mal vistas
Pelo órgão executor
O juiz dá com rigor
A sentença aos errados
Que são presos e multados
Não cumprindo esse dever
O idoso tem que ter 
Seus direitos respeitados.

Autor: Zé Bezerra








segunda-feira, 19 de junho de 2017

FAMÍLIA CRISTÃ















Se a família cristã
Vive a palavra de Deus
Está bem unida aos seus
Evitando dissabor
Estando aberta ao perdão
Família é casa do pão 
Da partilha e do amor.

O certo mesmo seria
Que a família aprendesse
Os valores e crescesse
Zelando cada valor
Num ambiente cristão
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Sabendo o que é a fé
Colocando a fé na vida
A família vive unida
Pelas bênçãos do Senhor
E a força da oração
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Espiritualidade
Participação e paz
Com isso a família faz
Da convivência um primor
Na estável relação
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Deus mande até as famílias
Daqui e do mundo inteiro
Seu divino mensageiro
Um anjo educador
Com a seguinte lição:
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Autor: Zé Bezerra



quinta-feira, 15 de junho de 2017

NAMORO COM OBJETIVOS

















Antes o namoro era
Tempo de descobrimento
Por ser visto como sério
O relacionamento
A medida que se amava
O casal se preparava
Tendo em vista o casamento.

Havia planejamento
Ninguém namorava à toa
O jovem com compromisso
Só pensava em coisa boa
O namoro era marcante
Por ser etapa importante
Para a vida da pessoa.

A família era a coroa
Pelos dois bem acolhida
Que após o casamento
Ia sendo construída
Na busca desse ideal
Era o lar para o casal
O alicerce da vida.

Como um ponto de partida
Pra o tempo posterior
O conhecimento mútuo
Caráter em alto valor
Sem ideias infantis
Cada um sendo feliz
Dando e recebendo amor.

Um período promissor
Com diálogo e com prudência
Para decisões tomadas
Por uso da consciência
Buscando união estável
O que é indispensável
Para a boa convivência.

Nessa ótica a existência
Ia sendo projetada
Duas vidas numa vida
No namoro começada
Com amor no coração
A verdadeira união
Ficava consolidada.

Mas nesta época avançada
Que a moral se distancia
Impera a libertinagem
Aumenta a pornografia
Por sumiço do decoro
Um puro e sério namoro
É muito raro hoje em dia.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 11 de junho de 2017

DEUS NÃO CONDENA NINGUÉM


















Por ser Deus fonte de amor
Do bem da paz, da concórdia
Usa de misericórdia
Para com o pecador
Como um avaliador
Do mal que nós praticamos
Se do bem nos desviamos
Mas Ele só nos quer bem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Ficamos indiferentes
Às lições que Deus ensina
Sem seguir sua doutrina
Nos tornamos negligentes
Somos desobedientes
No lado errado ficamos
Na contramão trafegamos
Certos que o perigo vem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Deus a todos abençoa
Levanta quem está na lama
É Pai que acolhe e ama
Reconcilia e perdoa
Recompensa a ação boa
Quando um de nós praticamos
E toda vez que erramos
Devemos entender bem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Quem de Deus tem se afastado
E depois pensa em voltar
O Pai que só sabe amar
Não o deixa desprezado
Cada um de nós tem dado
Maus exemplos e pecamos
Se no mal caminho estamos
A culpa a gente é quem tem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Autor: Zé Bezerra