quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

PARABÉNS AO PATU NEWS

O blog Sertão Caboclo
Mais um ponto focaliza
Dessa vez ao Patu News
Alegre parabeniza
Pela meta memorável
Que este blog concretiza.

Os dois milhões de acessos
O que é grande façanha
Certamente no Brasil
De todos os outros ganha
Outro igual não há na China
No México, nem na Espanha.

Rapidez com as notícias
Feitas com habilidade
Informações muito ecléticas
Serviço à comunidade
Muito dinamismo e zelo
Pela credibilidade.

Partir de um lugar pequeno
Galgar pontos altaneiros
Conquistar a preferência
Liderar os companheiros
Todo mérito é pra VIEIRA
O campeão dos blogueiros.

Parabéns pelo sucesso
Que cresce cada vez mais
Continue acreditando
No bom trabalho que faz
Sei que você sabe disso
Seu blog presta um serviço
Melhor que muitos jornais.


Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

JESUS BATE EM NOSSA PORTA



















Jesus Cristo quer estar
Junto à criatura humana
No palácio ou na choupana
Não interessa o lugar
Ele quer continuar
A todos dando acolhida
E a cada um convida
Para com amor viver
Jesus Cristo vem bater
Na porta da nossa vida.


Jesus é o bom pastor
Que ama as suas ovelhas
Pretas, brancas ou vermelhas
Não faz diferença a cor
Cuida delas com amor
Nenhuma fica esquecida
Aquela que está perdida
Quer achar e acolher
Jesus Cristo vem bater
Na porta da nossa vida.

A cada um ele atende
Não discrimina ninguém
Ensina a prática do bem
Aos mais humildes defende
Aquele que se arrepende
Terá chance garantida
Porque encontrou saída
Para na fé renascer
Jesus Cristo vem bater
Na porta da nossa vida.


O Messias Prometido
Veio nos dar grande prova
Transmitindo a Boa Nova
Libertando o oprimido
Pelo Santo Espírito ungido
Dá vez a nação sofrida
A preso e cego convida
Pra ter liberdade e ver
Jesus Cristo vem bater
Na porta da nossa vida.

Jesus Cristo intercede
Pra o Pai nos abençoar
A Deus e ao próximo amar
É o que Ele mais nos pede
Graça do perdão concede
À pessoa arrependida
E quer sarar a ferida
Daquele que nele crer
Jesus Cristo vem bater
Na porta da nossa vida.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 24 de dezembro de 2011

VEM O NATAL
















Vem o Natal para todos
Trazendo momentos bons
Amenizando os conflitos
E as preocupações
Noite de encanto e beleza
Que afugenta a tristeza
E alegra os corações.

Vem o Natal restaurar
A exaustão dos cansados
Trazer paciência e calma
Para os angustiados
Luz para os astros opacos
Revigoramento aos fracos
Coragem aos desanimados.

Vem o Natal garantir
A inocência das crianças
Dar lições à humanidade
Sobre as bem-aventuranças
Vem resgatar os perdidos
E dar nos desiludidos
Um banho de esperanças.

Vem o Natal libertar
Pessoas da opressão
Vem ensinar as famílias
Viverem em união
Vem fazer a paz crescer
E a todos oferecer
Misericórdia e perdão.

Vem o Natal transmitir
Ternura e simplicidade
Afastando as injustiças
Instalando a igualdade
É a vontade de Deus
Que todos os filhos seus
Vivam com dignidade.

Vem o Natal para o homem
Ter em Deus a fé maior
Pela vida e pela paz
Lutar, derramar suor
Crendo no Deus invisível
Possa fazer o possível
Para o mundo ser melhor.

Vem o Natal apontar
O caminho que conduz
Cada cristão a seguir
As pegadas de Jesus
É festa que irradia
Felicidade, alegria
Fé, paz, esperança e luz.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 17 de dezembro de 2011

ISSO QUER DIZER SAUDADE















Está em nossa lembrança
Nossa vida de criança
Tempos da primeira idade
Recordar a meninice
Nosso ego já nos disse
Isso quer dizer saudade.

Nos vem a recordação
Da vida lá no sertão
Cheia de tranquilidade
Era um tempo diferente
Hoje reprisar na mente
Isso quer dizer saudade.

Sentir a falta de alguém
Que partiu para o além
Está na eternidade
Nos deixando a alma presa
Na cadeia da tristeza
Isso quer dizer saudade.

Afastar-se da amante
Passar dez meses distante
Porque a necessidade
Trouxe como consequência
Uma insuportável ausência
Isso quer dizer saudade.

Destinar-se a ir embora
Sair pelo mundo afora
E de voltar ter vontade
Mas sem ter com que voltar
Entristecer e chorar
Isso quer dizer saudade.

Trabalhar em outro Estado
Da família separado
Privado da liberdade
De ver os seus todo dia
Quase sem ter alegria
Isso quer dizer saudade.

Prisão e isolamento
Amargura e sofrimento
Nostalgia e sentimento
Transtorno e ansiedade
Deixam o coração sofrido
Machucado e abatido
Melancólico e dolorido
Isso quer dizer saudade.


Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

SABER CUIDAR BEM















Lembrando Mário Quintana
Um poeta incomparável
Que faz nos tornar palpável
Uma ideia bacana
Referindo-se ao cuidado
Ao zelo aprimorado
Capricho e dedicação
Ele nos ensina assim
Cuide bem do seu jardim
Que as borboletas virão.


É necessário cuidar
De tudo que nos pertence
Também é bom que se pense
Que exemplos podemos dar
Zelando ruas e praças
Conscientizando as massas
Dando orientação
Para o povo agir assim
Cuide bem do seu jardim
Que as borboletas virão.


Queira sempre cuidar bem
Dos bens que a vida lhe deu
Cuide de tudo que é seu
Cuide dos outros também
Zele pelo bem comum
Insista que cada um
Tenha essa mesma intenção
Aja com o mesmo fim
Cuide bem do seu jardim
Que as borboletas virão.


É tão bom ser cuidadoso
Tendo tudo organizado
O que se faz com cuidado
É perfeito e valioso
Cuidar da vida da gente
Cuidar do meio ambiente
Tudo isso é boa ação
A quem devemos dar sim
Cuide bem do seu jardim
Que as borboletas virão.


Tente viver cada dia
Em paz e com liberdade
Construa sempre amizade
Dê mais chance à alegria
Mantenha seu bom humor
Evite sentir rancor
Afaste-se da solidão
E de tudo que é ruim
Cuide bem do seu jardim
Que as borboletas virão.



Autor: Zé Bezerra

domingo, 11 de dezembro de 2011

ENCARAR OS DESENCONTROS

A vida é feita de encontros
Mas desencontros existem
Que são males que persistem
E se eles causam dano
Fazem parte da vivência
Sendo também consequência
Desse caminhar humano.

Há aqueles desencontros
Causados culposamente
Gerando diretamente
Tristeza e desilusão
Revolta, infelicidade
Que o que é feito por maldade
Provoca indignação.

Mas por outro lado há
Desencontros que aparecem
Sem nenhum dolo acontecem
Vêm como contrapartida
Vez por outra estão presentes
Pois também são componentes
Do dia a dia da vida.

Só a arte de viver
Está a nos ensinar
Ao desencontro encarar
Sem desespero ou rancor
Então para haver saída
Precisa mão estendida
E coração acolhedor.

Deve a mente estar aberta
Para melhor controlar-se
Com força pra levantar-se
Da queda de um desencontro
E mesmo devagarinho
Continuar o caminho
Construindo um novo encontro.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 4 de dezembro de 2011

BENDITOS DO MEU PAI
















Nem a você, nem a mim
Deus nunca vai perguntar
Qual é o tipo de carro
Que temos pra viajar
Ele é interessado
Ver nossa ação praticada
Se a gente necessitada
Temos com ele ajudado.

Deus também nunca pergunta
Da nossa casa o valor
Se é mansão ou casebre
Se possui bonita cor
No bairro chique ou favela
Ele quer somente os dados
De quantos desabrigados
Temos acolhido nela.

Pra Deus só é importante
Nosso espírito solidário
Não quer saber se são muitas
As roupas do nosso armário
Mas deseja conferir
Nossas atitudes boas
Para ver quantas pessoas
Ajudamos a vestir.

Por cargo, salário e título
Deus não faz indagações
Não lhe interessa se temos
Status ou promoções
E nem bens materiais
Ele cobra com rigor
O que se faz em favor
Daqueles que sofrem mais.

Então diante de tudo
Que Deus não quer perguntar
Pensemos bem nas respostas
Que teremos para dar
No útimo dia, o Senhor
O Deus Filho, o Salvador
À sua direita atrai
Os bons para o grande brinde
A esses, Ele diz: Vinde
Os benditos do meu Pai.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

MUDAR FAZ BEM
















Em um tempo que as coisas mudam tanto
É preciso aceitar e entender
Que faz bem aderir para as mudanças
Renovando com isso as esperanças
Com um jeito mudado de viver.

Mudar faz bem ao corpo e ao espírito
Mas exige mais flexibilidade
Pra poder encarar as mutações
E enfrentar diferentes opções
Apontadas por nossa sociedade.

Quando novos diálogos são mantidos
Novo ânimo começa a despertar
Se a mudança é útil e dirigida
Vindo pra melhorar a nossa vida
Nesse aspecto é muito bom mudar.

Para que incorpore-se as mudanças
Anda-se num caminho de crescimento
Desinstala-se as acomodações
Dá-se chances às novas relações
Confiantes no novo experimento.

É feliz quem aprende a aceitar
Todas as novidades da mudança
Elas trazem mais estabilidade
Dando à vida vigor e qualidade
Mais humanização e confiança.

Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

POEMA-CONVITE

No vinte e sete, o domingo
Primeiro do Advento
Pela manhã em Patu
Internauta fique atento
Que irá acontecer
Um importantíssimo evento.

Será a reabertura
Do Renascer de A. A.
Um grupo que na defesa
Da vida trabalhará
Libertando os viciados
Sempre esteve e estará.

Desse encontro aberto ao público
Cita-se hora e local
Será nove da manhã
No Sindicato Rural
Avenida Lauro Maia
Da cidade, a principal.

A equipe que organiza
Tem a honra e o prazer
De convidar os alcoólatras
Para virem receber
Informações preciosas
Que eles devem saber.

E os seus familiares
São convidados também
Então venha, participe
Para ver que o A. A. tem
Como mudar sua vida
Libertando-o da bebida
Pra viver feliz e bem.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 22 de novembro de 2011

ARTISTA GENIAL E POLÍTICO EXEMPLAR















Em versos, métricas e rimas
Informa este blogueiro
Que em 26 de novembro
Lá no rio de Janeiro
Nasceu no século passado
Um ilustre brasileiro.

Trata-se de Mário Lago
Personagem de valor
Celebridade na música
Genial compositor
Em novela e no teatro
Um admirável ator.

Um militante político
Que no seu cotidiano
Protagonizava lutas
Idealizava plano
Era um destaque por ser
Autêntico republicano.

Corajoso e destemido
Nunca foi de recuar
Sendo perseguido e preso
Várias vezes por travar
Lutas contra a ditadura
E a repressão militar.

Com prazer articulava
Movimentos sociais
Trabalhando nunca quis
Aposentar-se jamais
Pra manter fortes as chamas
Dos seus grandes ideais.

Sonhava com um Brasil
Sem corrupção, sem estrago
Tantos políticos de hoje
Com lábia e discurso vago
No descrédito há tempo vêm
São pouquíssimos os que têm
A fibra de Mário Lago.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

PELAS ONDAS DA LEITURA
















É muito bom se ler bem
Com gosto, com fruição
Buscando a compreensão
Das ideias de alguém
A leitura traz também
A sabedoria pura
Através dela a cultura
Está se disseminando
É bom estar viajando
Pelas ondas da leitura.

Ler para bem entender
A vida e os seus problemas
Aprender vários esquemas
Para adquirir saber
Ler para sentir prazer
Ou ler de forma segura
Numa constante procura
Por contextos diferentes
Indo a vários continentes
Pelas ondas da leitura.

É lendo em cada jornal
Fatos que são publicados
Esporte, classificados
Notícia internacional
A página policial
Informes sobre cultura
Focos de literatura
Antiga ou contemporânea
Tudo de forma instantânea
Pelas ondas da leitura.

Nas leituras virtuais
As fontes são sem divisas
Lê-se fazendo pesquisas
Quem se esforça aprende mais
Saberes bem atuais
A internet assegura
Mas quem ao livro procura
Sabe tudo em bom estilo
Viajando bem tranquilo
Pelas ondas da leitura.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 12 de novembro de 2011

VIVA ESSES IMPERATIVOS !















Busque um sentido maior
Para sua existência
Lute para ter melhor
Dignidade e decência
A voz de Deus o convida
A colocar sua vida
Numa boa diretriz
Mostrando que é bom viver
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

Ame a Deus, ame a você
Ame ao próximo também
Siga o mandamento que
Ensina a fazer o bem
Viva com dignidade
Procure ter humildade
Para ser sempre aprendiz
Plante pra depois colher
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

Sem ganância e egoísmo
Faça a sua trajetória
Encha-se de otimismo
Vá construindo a história
Não recue ante o fracasso
A frente dê mais um passo
Seja de si um juiz
Na vida encontre prazer
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

E quando desanimar-se
Equilibre a autoestima
Pra se cair, levantar-se
E dar a volta por cima
Creia em Deus Pai Criador
A força superior
Que a sua vida bendiz
Saiba ganhar e perder
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

Preserve sua saúde
Não exagere em bebida
Para o bem, refaça ou mude
Os seus projetos de vida
E com autoconfiança
Mantenha a esperança
Que ela muito condiz
Com quem deseja vencer
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

Saiba viver emoções
Quando rir, quando chorar
Queira os momentos bons
Da vida aproveitar
Mesmo com dificuldade
Encontre a felicidade
Evite ser infeliz
Vá em frente sem temer
Goste da vida sem ter
Vergonha de ser feliz.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 6 de novembro de 2011

CULTURA DESVALORIZADA

A cultura nordestina
Está em segundo plano
Não é a que predomina
É sempre assim todo ano
De crescer não dá sinais
Seus valores culturais
Pouca gente reconhece
Nem valoriza também
Nossa cultura não tem
O apoio que merece.

As nossas artes flutuam
No mar do anonimato
Esquecidas continuam
Sendo um produto barato
Por estarem no fracasso
Não têm na mídia um espaço
Dificilmente aparece
Um patrocínio de alguém
Nossa cultura não tem
O apoio que merece.

A cultura do reisado
Do teatro de boneco
Do baião e do xaxado
Do coco e do reco-reco
Do toque do sanfoneiro
Do cantador violeiro
Do artesão que parece
Que perdeu-se no além
Nossa cultura não tem
O apoio que merece.

Sobrevive às duras penas
Hoje o teatro de rua
Tendo plateias pequenas
Sua arte continua
O folclore em cada Estado
Nunca foi valorizado
Dele o povo até esquece
E o ignora também
Nossa cultura não tem
O apoio que merece.

Grupo de teatro ativo
É difícil de encontrar
Por falta de incentivo
À cultura popular
O forró de pé de serra
Ou com o moderno faz guerra
Ou então desaparece
Boas músicas não vão bem
Nossa cultura não tem
O apoio que merece.

Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

VOLTAREMOS AO PÓ

Está em nossa memória
Os nossos entes queridos
Que já estão falecidos
Tios, primos, pais, avós
Dos quais só vê-se os jazigos
E mais centenas de amigos
Que foram antes de nós.

Quando é dia de finados
Ao cemitério vamos
Os seus túmulos visitamos
Tendo a tristeza presente
E um sentimento profundo
Dos que para o outro mundo
Partiram na nossa frente.

Olhamos os epitáfios
Com letras acinzentadas
As coroas desbotadas
Lembrando a despedida
De quem já antecipou-se
E até sem querer mudou-se
Pra o outro lado da vida.

Naquele lugar sombrio
As cruzes são sentinelas
Nas covas queimam-se velas
Há visita o dia inteiro
Cantos, orações,mensagens
Celebrações, homenagens
A quem Deus chamou primeiro.

Nascemos e morreremos
Somos seres biológicos
Esses fatores são lógicos
Sem morrer não fica um só
Todos vão por essa via
E Deus é quem marca o dia
De retornarmos ao pó.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

CONTRASTES
















O mal e o bem contrastam
Isso é definitivo
Polos elétricos se atraem
Positivo e negativo
Se há duvidoso e certo
Há oásis no deserto
O leal e o infiel
O que começa tem fim
O mundo é composto assim
De amargo fel, doce mel.

Existem luzes e trevas
Nas planícies e montanhas
Há frustrações nas derrotas
Prazer nas batalhas ganhas
Há segurança e perigos
Amigos e inimigos
Há quem a Deus é fiel
Por existir maus e bons
Há essas situações
De amargo fel, doce mel.

Tanto há ilhas como pontes
Fartura e falta de pão
Gente que semeia a paz
Com amor no coração
Nesses campos adversos
Há indivíduos perversos
Que com conduta cruel
Infernizam a vida alheia
E a sociedade é cheia
De amargo fel, doce mel.

É guerra opondo-se à paz
É ódio contra o perdão
Mentira contra a verdade
Discórdia contra união
Doença contra a saúde
Droga contra a juventude
É Caim matando Abel
Esse mundo atribulado
Está sempre misturado
De amargo fel, doce mel.

Há mais roubo e corrupção
Há menos honestidade
Há mais briga e egoísmo
Há menos fraternidade
Há mais medo e violência
Há falta de consciência
Há muitas leis no papel
Há poucas sendo cumpridas
Há marca em todas as vidas
De amargo fel, doce mel.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

SERVIDORES BONS E MAUS














Você bom funcionário
Que seu trabalho diário
Exerce com compromisso
Não pode ser esquecido
Deve ser reconhecido
Seu valioso serviço.

Você que é negligente
E que no expediente
Sempre só chega atrasado
Pouco faz, só aborrece
Quem é assim não merece
Nem ser parabenizado.

Você que é exemplar
Que sai para trabalhar
Enfrentando desafios
Quer na profissão crescer
É digno de receber
Os melhores elogios.

Já você de pouca crença
Que quer ter emprego e pensa
Só no quanto vai ganhar
O seu trabalho é ruim
Um serviço público assim
Tem tudo pra piorar.

Mas você que é gente boa
Que ao trabalho se doa
Com amor e alegria
Faz tudo bem e não custa
Toda homenagem é justa
Para você nesse dia.

Você que a tudo reclama
E possui a péssima fama
De enrolar e faltar
Você que a empresa estraga
Saia fora e dê a vaga
Para quem quer trabalhar.

Nas públicas repartições
Servidores maus e bons
Para eles expressamos
O que de fato sentimos
Aos bons nós aplaudimos
Aos maus nós criticamos.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

FALTA DE AMOR: A MAIOR CRISE

O apelo de Deus sobre o amor
Para a humanidade se estende
A mensagem que chega a cada um
Muita gente talvez não compreende
A lição que ensina como amar
Quem a sabe prefere ignorar
Porque a maioria não aprende.

A incapacidade de amar
Torna a vida humana um sério drama
A personalidade das pessoas
É um gás explosivo que se inflama
Onde a prática do bem fica à distância
Há vingança, intriga, ignorância
Nesse clima, bem pouca gente ama.

O amor verdadeiro é exigente
Que primeiro a Deus deve-se amar
Mas só ama-se a Deus, amando ao próximo
Não só vale dizer, tem que provar
Pra provar que é amor sem falsidade
Temos que nos amarmos de verdade
Pra no teste de Deus poder passar.

São bem poucos os homens e mulheres
Que ao plano de Deus estão atentos
Pelo discernimento e a renúncia
Das ciladas do mal são quase isentos
Praticando justiça e caridade
Talvez tenham maior capacidade
Pra viver o maior dos mandamentos.

Há no mundo intermináveis guerras
Lamentáveis tragédias de terror
Atentados cruéis e desumanos
Desrespeitos à lei do Criador
Aprofunda o mal suas raízes
E diante de intempestivas crises
A maior é a falta de amor.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 22 de outubro de 2011

CONFIANÇA É LIBERDADE

O ciúme aprisiona
A confiança liberta
Quem é confiante acerta
Na boa oportunidade
Sem duvidar do que vê
Isso é um fato porque
CONFIANÇA É LIBERDADE.

Todo aquele que confia
Nunca vai desconfiar
Quem confia sabe amar
Detestando falsidade
Desarticulando a ira
Sem injustiça e mentira
CONFIANÇA É LIBERDADE.

Confiança é importante
Quando é dada a quem merece
Quem recebe fortalece
Sua personalidade
E passa a ser bem feliz
Quem dá testemunho diz
CONFIANÇA É LIBERDADE.

Quem dá confiança ao outro
O deixa livre pra tudo
Liberdade é o escudo
Da vida em qualquer idade
Se livre a pessoa está
Desconfiança não há
CONFIANÇA É LIBERDADE.

Empenho é dedicação
Conduta é comportamento
Alegria é sentimento
Caráter é honestidade
Amizade é bem querer
Satisfação é prazer
CONFIANÇA É LIBERDADE.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 16 de outubro de 2011

É PRECISO APRENDER
















A pergunta: O que é o ser humano?
Não parece ser fácil responder
Estudando o Existencialismo
Boas informações podemos ter
Para um entendimento mais completo
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Do lugar que viemos para o mundo
Uns não sabem nem outros vão dizer
Quem quer ir mais a fundo na questão
Pela Filosofia vai saber
Que pra ter mais um pouco de certeza
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Se do mundo nós somos criaturas
Desse mundo tivemos que nascer
No presente falamos do que somos
No futuro, o que iremos ser?
Para uma resposta mais completa
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Para onde nós vamos, não sabemos
Mas existe quem saiba esclarecer
Essa dúvida acerca do futuro
Poucos têm interesse em debater
Esses conhecimentos sobre a vida
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Ao homem Deus deu o livre arbítrio
Para ações que ele deve ou não fazer
Já que tem para isso liberdade
Deveria pensar e entender
Que pra ser semelhante ao Criador
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Procuremos então saber melhor
Quais caminhos devemos percorrer
Se o mundo pra nós é uma escola
Que lições para a vida vão valer
Para isso dizia Paulo Freire
É PRECISO APRENDER A APRENDER.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA

O modismo muitas vezes
Faz transformar as pessoas
Que deixam as coisas boas
Recantadas à distância
Devido a esse fator
Aprendem a dar valor
AO QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Muitos querem ser modernos
Fazem até sacrifícios
Aderem fácil aos vícios
Até pela ignorância
Ou a alienação
Dando o máximo de atenção
AO QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Uns vão na onda da moda
Sem ter recuo e nem susto
Pra segui-la a qualquer custo
Não querem medir distância
Em clima de euforia
Fazendo apologia
AO QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Sem saber o idioma
Gostam de música estrangeira
Adoram curtir besteira
Apresentam petulância
Pensando em evoluir
Obrigam-se a consumir
O QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Obsessão por supérfluos
Adornos exagerados
Alimentos enlatados
Excesso de extravagância
Muitos com isso adoecem
Mas, mesmo assim enaltecem
O QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Rabindranath Tagore
Grande poeta indiano
Diz que isso é um delírio
Que alucina o ser humano
Essa insensatez externa
Flagela a vida moderna
Não merece tolerância
A ideia alienante
De achar que é importante
O QUE NÃO TEM IMPORTÂNCIA.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A FALTA D'ÁGUA EM PATU














A falta d'água em Patu
Da cidade é um emblema
Ainda não foi possível
Por um fim nesse dilema
Parecendo até não ter
Solução para o problema.

A CAERN é criminosa
Nenhum júri a absolve
Nessa questão delicada
Pouca gente se envolve
Começa e termina ano
E o caso ninguém resolve.

Todos os políticos sabem
O que está acontecendo
Existem os que acusam
E os que ficam defendendo
Uns põem a culpa nos outros
E a população sofrendo.

Nos meses que está chovendo
Esse mal se distancia
No entanto, existem várias
Ruas da periferia
Que com chuva ou sem chuva
Não têm água nem um dia.

Na Nova Patu, nos canos
Só sai vento e cai poeira
Capelinha e Cajaranas
Não pinga água em torneira
Mesmo assim é no Fomento
E no Conjunto João Pereira.

Rua do Pinga, não pinga
Nem no bairro do Quartel
Conjunto Francisco Dantas
A escassez é cruel
A água que vem num mês
Não enche nem um tonel.

A falta d'água em Patu
Será por falta de sorte?
Pois a adutora vem
De uma fonte muito forte
O maior reservatório
Do Rio Grande do Norte.

Na verdade, a água existe
E em grande quantidade
O que falta é estrutura
E operacionalidade
Pra que ela chegue a todas
As casas desta cidade.

Enfim, persiste o problema
Que traz preocupação
Sai governo, entra governo
Não muda a situação
Enquanto sofre uma grande
Parte da população.

Nas promessas dos políticos
Ninguém confia mais não
Quem tem esperança ainda
Faz esta interrogação:
Pra falta d'água em Patu
Ainda há solução?

Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A ESTAÇÃO MAIS BONITA




















Primavera entre todas a mais bela
De atraentes encantos e odores
Onde os bosques, florestas e jardins
Vêm ao tempo brindar com suas flores.

Estação de aspectos fulgurantes
Com o ar revestido de pureza
Vê-se as plantas bonitas vicejantes
Expressando o vigor da natureza.

Nessa época a mãe Terra fica grávida
E no auge da sua gestação
Dão as flores um belo colorido
Para a flora de cada região.

É a metamorfose genuína
Específica do reino vegetal
Um famoso pintor mostrando em tela
A mais linda paisagem natural.

Nem as arquiteturas de Oscar
Nem os arranha-céus da Baviera
Nem pirâmides, nem torres, nem castelos
Podem ser comparados com os belos
Panoramas que há na Primavera.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 24 de setembro de 2011

DEMOCRACIA EM APUROS

Na política brasileira
Diante do que é pior
Foi criado um movimento
Pra crise ficar menor
E assim a democracia
Tomar um rumo melhor.

Um movimento aguerrido
Que pretendia acabar
Com os partidos políticos
Que se aliam pra roubar
Fazendo a corrupção
Cada vez mais aumentar.

Outra meta pretendida
Nessa movimentação
É identificar todos
Os políticos da nação
E aqueles que são corruptos
Tirar de circulação.

Mas, uma reviravolta
Surge no quadro analítico
O movimento cresceu
Sem limite e senso crítico
Que agora transformou-se
Em um partido político.

Afinal esse é mais um
Partido que ora se cria
Políticos de ficha suja
Vêm pra ele a cada dia
Era um limpo movimento
Que agora é fraudulento
Devido a grande guinada
Esse mal se intensifica
E a democracia fica
Visivelmente queimada.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A HISTÓRIA A GENTE FAZ

Pelo decorrer da vida
Nas estradas que andamos
Nos lugares que passamos
Podemos deixar sinais
Com as nossas militâncias
Em todas as circunstâncias
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Não somente na vanguarda
Na retaguarda também
De maneira que ninguém
Deve julgar-se incapaz
Pelas causas e efeitos
Dos fatos somos sujeitos
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Da construção da história
Devemos ser operários
Os atributos são vários
Que a realidade traz
Dia, mês, semana e ano
Vivendo o cotidiano
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Na política faz-se história
Nas produções literárias
Nas lutas comunitárias
Nos trabalhos sociais
E nas associações
Desenvolvendo as ações
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Seja na praça ou no campo
Seja num lugar deserto
Seja longe ou seja perto
Seja em crises cruciais
Seja em momentos instáveis
Seja em épocas favoráveis
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Seja conscientizando
Seja fazendo ações boas
Seja educando as pessoas
Seja na guerra ou na paz
Seja praticando esporte
Seja no sul ou no norte
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Seja no campo das artes
Seja escalando os montes
Seja construindo pontes
Seja promovendo a paz
E aprendendo a repartir
Enquanto a vida existir
A HISTÓRIA A GENTE FAZ.

Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

UM VEÍCULO APAIXONANTE














Continua sendo o rádio
Muito útil e importante
Sua comunicação
Sempre é significante
Até dentro de um estádio
Para muitos é o rádio
Um veículo apaixonante.

As pessoas ouvem rádio
Em qualquer localidade
Mesmo perante os avanços
Grandes da modernidade
Num mundo competidor
Ele mantém seu valor
E a sua qualidade.

Do locutor e o ouvinte
A relação é sadia
Como se estivessem próximos
Um do outro em sintonia
Com essa proximidade
Crescem laços de amizade
Afeto, amor e alegria.

Rádio transmite notícias
Umas ruins e outras boas
Tem um público bem eclético
Adultos, jovens, coroas
Comunica em larga escala
No mesmo tempo em que fala
Pra milhares de pessoas.

Pode o rádio ser ouvido
No trânsito e dentro do lar
Em vila, sítio e cidade
No ar e até no mar
Sua marca registrada
É dirigir-se a cada
Ouvinte em particular.

O rádio com persistência
Enfrenta a competição
É sempre um bom companheiro
Nas horas de solidão
Por ser quase cem por cento
Mesclado de sentimento
Companheirismo e paixão.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 18 de setembro de 2011

VIDA É ENERGIA














Todo ser vivo que tem
Vida saudável e normal
Conduz em si uma força
Genuina e natural
Tornando-se imprescindível
Essa energia vital.

O potencial da vida
É fator indicativo
Motor que impulsiona
Harmonicamente ativo
Energizando a matéria
Peculiar do ser vivo.

A vida dos seres vivos
Do reino dos vegetais
Por não se locomoverem
Não são como os animais
Esses por serem dinâmicos
O potencial é mais.

A força motriz da vida
Revigora cada ser
Que se potencializa
Mesmo antes de nascer
Com substâncias que fazem
Nascer, crescer e viver.

A vida em si contém
Vigor que a matéria cria
Os sistemas funcionam
No corpo com harmonia
Psico e fisicamente
Mostram evidentemente
Que a vida é naturalmente
Fonte de pura energia.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

FESTA DA PADROEIRA E FEIRA DA CULTURA









Desde seis até quinze de setembro

Nosso povo católico com louvores

No sopé desta serra altaneira

Mais um ano festeja a Padroeira

Nossa Santa Senhora Mãe das Dores.


São duzentos e trinta e quatro anos

Desta festa de fé e devoção

A Paróquia está mobilizada

Sendo Nossa Senhora venerada

Pelas missas, novenas, procissão.


Para a nossa Igreja é tempo forte

De maior espiritualidade

Reencontros dos que vivem ausentes

Patuenses ausentes e presentes

Compartilham religiosidade.


Há também os aspectos sociais

Desta festa bem tradicional

Na medida que o tempo foi passando

Foi crescendo e se multiplicando

Na cidade, o seu campo cultural.


Em setembro do ano oitenta e quatro

Dona Lourdes Holanda toma altura

No período da festa desta Santa

Como primeira dama ela implanta

A primeira Feira da Cultura.


Desde aquele tempo este evento

Acontece sem interrupção

Grande marca na história é registrada

Neste ano está sendo realizada

Sua vigésima oitava edição.


É a Feira da Cultura de Patu

Certamente um evento renomado

E por essa dimensão que ela tomou

Ao longo do tempo se tornou

A maior do oeste do Estado.


Música, dança, cinema, artesanato

A poesia, o teatro e a pintura

As gincanas com atrativas partes

São amostras das diferentes artes

Exibidas na Feira da Cultura.


Há o show de calouros e o FEMUP

Muitas danças folclóricas, pastoril

Artesãos, sanfoneiros e coquistas

Já são treze festivais de repentistas

Com os maiores poetas do Brasil.


Auto de Jesuino e Cavalhadas

Boi de João de Artur e seu cortejo

Capoeira e peças teatrais

Expoart e tendas culturais

São também componentes do festejo.


Afamados cantores já fizeram

Por aqui suas apresentações

Há estandes, barracas e quitandas

Além dos mega- shows das grandes bandas

Para o público, as maiores atrações.


Que a Senhora das Dores interceda

A Jesus Salvador e Soberano

Pra que toda a Patu com harmonia

Participe e celebre com alegria

Esta festa bonita todo ano.


Autor: Zé Bezerra




segunda-feira, 5 de setembro de 2011

CONVITE EM VERSOS


















Chegou setembro e agora
Nesta quinzena primeira
Nós estamos convidando
A população inteira
Para vir participar
Da festa da Padroeira.

Todos os cristãos católicos
As senhoras e senhores
Jovens e adolescentes
Patrões e trabalhadores
Vamos todos festejar
Nossa Senhora das Dores.

Do dia seis ao quatorze
Acontece o novenário
Com cantos e orações
E pregação do vigário
Sempre às dezenove horas
Ninguém não perde o horário.

O tema é uma lição
Ecológica com certeza
Que o sim de Maria traga
Mais consciência e clareza
Para se poder viver
De bem com a natureza.

No dia da Padroeira
Dia quinze, fique atento
Procissão, dezesseis horas
Um importante momento
E em seguida, é a missa
Solene de encerramento.

Participe dos jantares
Das barracas, do leilão
Vá à Feira da Cultura
Confira cada atração
Divirta-se com alegria
Paz e fé no coração.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 30 de agosto de 2011

SE AS PAREDES FALASSEM












Muitas coisas acontecem
Que não ficam registradas
Por isso todos esquecem
Cenas não documentadas
Mas sempre quem presencia
Recorda o que viu um dia
Mesmo que os anos passem
É sem destaque os enredos
Havia poucos segredos
SE AS PAREDES FALASSEM.

Os fatos acontecidos
Dentro de quatro paredes
Ocultamente mantidos
Correm por fora das redes
Modernas de cobertura
São isentos de censura
Como se não circulassem
Não têm tarifas ou fretes
Talvez que fossem manchetes
SE AS PAREDES FALASSEM.

Acontecimentos mistos
De efeitos variados
Quem sabe se não são vistos
Bem de cima dos telhados
Nos dizeres conhecidos
As paredes têm ouvidos
E se elas revelassem
Tudo o que está ocultado
Era um sururu pesado
SE AS PAREDES FALASSEM.

Ocorrem diariamente
Fatos em qualquer lugar
Que as paredes somente
Estão a testemunhar
Há os que são bem nostálgicos
Uns bons, já outros são trágicos
Que se a mídia os publicassem
Eram sensacionais
Repercutiam demais
SE AS PAREDES FALASSEM.

Talvez que diminuissem
Falcatruas planejadas
E quem sabe, até sumissem
Os conchavos nas caladas
As concordatas fingidas
As transações escondidas
Mais infrequentes ficassem
Era ruim para o ladrão
Tinha menos corrupção
SE AS PAREDES FALASSEM.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 28 de agosto de 2011

AS CRIANÇAS E OS APELOS CONSUMISTAS



Neste mundo em que estamos
Nós adultos precisamos
Agir com desconfianças
Usando estratagema
Para enfrentar um problema
Que afeta nossas crianças.

É que elas diariamente
Da TV ficam na frente
Num avantajado horário
E assim a todo instante
Se tornam alvo importante
Do campo publicitário.

Inúmeros comerciais
Influenciam demais
Impressionando as vistas
Desses baixinhos instáveis
Que são muito vulneráveis
Aos apelos consumistas.

Isso só vem provocar
Estresse familiar
E anseio que dá tosse
Mau hábito e obesidade
Além de agressividade
E erotização precoce.

São valores distorcidos
Pela mídia produzidos
Para os guris em geral
É um universo eclético
Que gera um problema ético
Econômico e social.

Pais precisam ser prudentes
Ficando mais conscientes
Frente ao pós- modernismo
Cumprindo deveres plenos
Deixando as crianças menos
Escravas do consumismo.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 23 de agosto de 2011

OS DOIS LADOS DA TV














De um lado a televisão
Proporciona alegria
Lazer, entretenimento
Momentos de euforia
Fazendo parte da vida
Do povo, no dia a dia.

De outro lado a TV
Com um poder influente
Impõe a sua cultura
Dominante e envolvente
Provocando desajustes
Na vida de muita gente.

De um lado ela transmite
Eventos especiais
Dando cobertura para
Fatos internacionais
Faz na comunicação
O que outro meio não faz.

De outro lado ela deixa
Pessoas alienadas
Pelas falsas propagandas
Sendo até prejudicadas
Trocando autênticos valores
Por condutas desviadas.

De um lado sua ciência
Tem a maior importância
Tendo tecnologia
De extrema relevância
Sua comunicação
Encurta qualquer distância.

De outro lado há muitas
Circunstâncias negativas
O sensacionalismo
Cenas antieducativas
Violentas reportagens
Nas mídias televisivas.

Para enxergar os dois
Lados da televisão
Vendo-a com um olhar crítico
Dá pra fazer distinção
Escolhendo os programas
Que dão contribuição
À moral e aos saberes
À ética, à educação
Descartando o que é contrário
A uma boa formação.

Autor: Zé Bezerra


I

domingo, 21 de agosto de 2011

DESMANCHE FORÇADO













A avenida Lauro Maia
Que o povo todo conhece
No momento está causando
Insatisfação, estresse
Condições desconfortáveis
Que o pessoal não merece.

Tiãozim de Maricota
Domingo de manhãzinha
Foi passar nas tartarugas
Dirigindo seu Fusquinha
A menos de dez por hora
Tão devagar ele vinha.

Mesmo assim não evitou
Um abalo desgraçado
Que empenou o volante
E um farol ficou quebrado
Despencou o para-brisa
Foi caco pra todo lado.

O radiador furou-se
Soltou-se um pneu traseiro
O escape caiu longe
O bujão caiu primeiro
E de dentro do motor
Subiu logo um fumaceiro.

Tiãozim que vinha só
Pulou fora apavorado
Vendo o estado do Fusca
Ficou desorientado
Revoltado dava gritos
Chorava desesperado.

Falou muitos palavrões
O DETRAN esculhambou
Deu nota zero aos políticos
Xingou, amaldiçoou
A pressão subiu de vez
Por pouco não enfartou.

Quem tem um carro mais velho
Pra não vê-lo em pedaceira
Quer ir ao centro, desvie
Vá pela Bento Bandeira
Ou então se preferir
Siga na Pompeu Teixeira.

Enquanto houver esse abuso
Temos que fazer assim
Transitar por outras ruas
Evitando um caso ruim
Como o que aconteceu
Com o amigo Tiãozim.

É muito melhor beber
A água do mar, na praia
Ser rejeitado por todos
Do público receber vaia
Que passar nas tartarugas
Da avenida Lauro Maia.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

UM PRATO INDIGESTO
















Avenida Lauro Maia
Passou a ser complicada
Trafegar por ela agora
A qualquer um desagrada
Só devido as tartarugas
Numa dose exagerada.

Em vez de duas fileiras
Ali colocaram três
De forma diagonal
Para massacrar de vez
Motorista, motoqueiro
Praciano ou camponês.

Na verdade, as tartarugas
Têm causado desprazer
Seja de carro ou de moto
Passar ali é querer
Estar fazendo uma coisa
Que não gosta de fazer.

Transita-se em zona urbana
Com baixa velocidade
Mas há sempre imprudentes
Ferindo a legalidade
Só que os obstáculos foram
De extrema severidade.

Entende-se que isso seja
Medida de prevenção
No entanto, questiona-se
Esse ato de opressão
O qual causa desconforto
E transtorno ao cidadão.

Passar pelas tartarugas
É na vida um descompasso
Doi o pescoço e as costas
A barriga, o espinhaço
E dá impressão que o carro
Está faltando um pedaço.

E se for passar de moto
Precisa muito cuidado
Quase não há equilíbrio
Devido o sacolejado
Já houve alguém que caiu
E ficou de queixo quebrado.

Motoristas, motoqueiros
Precisam se organizar
Fazendo abaixo-assinado
Para ao DETRAN enviar
O que não vale é ninguém
Isolado reclamar.

Autoridades locais
Queiram se manifestar
Diminuam as tartarugas
Pra o povo melhor passar
E as lombadas da frente
Mandem logo retirar.

Por favor deem atenção
Ao nosso manifesto
Amenizem esse abuso
Alvo de crítica e protesto
Porque na vinda ou na ida
Passar pela avenida
É mesmo um PRATO INDIGESTO.

Autor:Zé Bezerra

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

ESTILO DE VIDA SUSTENTÁVEL














Pelas destruições ambientais
Para o nosso planeta ser viável
É urgente fazer-se a adesão
A um estilo de vida sustentável.

É um modo de vida que exige
Responsabilidade e coerência
Em ações que apresentem como efeito
Amadurecimento consciência.

Praticar a sustentabilidade
É tomar atitudes bem seguras
Para a natureza não ser falha
Com a vida das gerações futuras.

Esse estilo de vida diferente
Traz mudanças no jeito de agir
E a preocupação com o futuro
Já não pode deixar de existir.

Um trabalho fraterno e coletivo
Nesse estilo de vida deve haver
Em favor de uma existência digna
Para aqueles que ainda vão nascer.

Se compete aos humanos fazer isso
Urge que cada um se comprometa
Em viabilizar transformações
Favoráveis para as populações
Espalhadas por todo esse planeta.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 6 de agosto de 2011

A RESPONSABILIDADE DOS PAIS




















Pai e mãe são atores principais
Devem ser timoneiros em vigília
Pois com toda certeza são os pais
As estrelas do palco da família.

O casal livre e decididamente
Para a vida a dois consolidar
É preciso que seja consciente
Do papel que exerce sobre o lar.

Os dois devem primeiro entender
Que são astros de reluzentes brilhos
Dentro de seus limites têm que ser
Verdadeiros modelos para os filhos.

Devem ter muito clara a noção
Da maior relevância dos valores
E estar bem cientes de que são
Dos seus filhos, os primeiros professores.

Deles é a responsabilidade
De aos filhos dar boa instrução
Transmitindo-lhes com autoridade
A primeira e melhor educação.

Se os pais e as mães soubessem agir
Educando os seus filhos de verdade
Certamente veríamos regredir
As mazelas da nossa sociedade.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 30 de julho de 2011

OS ENCANTOS DE UMA SERRA















Bela Serra de Patu
É vista desde Itaú
Chega quase ao Tuiuiú
Seu magnífico projeto
Perfeitamente criado
Com capricho elaborado
Depois bem executado
Pelo divino arquiteto.

Serra de altura imponente
Da cidade ao nascente
Erguendo-se à nossa frente
É a cortina da aurora
Tem pináculos verticais
E rochedos magistrais
Onde o sol demora mais
Por os seus raios de fora.

Verdejantes arvoredos
Bem abaixo dos lajedos
Lá em cima dos rochedos
Faz o vento o seu balé
Pela sua majestade
Sua grandiosidade
Está Patu, a cidade
Situada ao seu sopé.

Cercada por densa mata
Ladeada por cascata
As pedras têm cor de prata
Assim que a chuva inicia
Escalá-la ninguém deve
Às vezes num tempo breve
Fica afogada na neve
Na amanhecença do dia.

Para o voo livre atrai
Pilotos do Paraguai
Do México e do Uruguai
De qualquer ponto estrangeiro
Os brasileiros também
De muitos Estados vêm
Nela a melhor rampa tem
Do nordeste brasileiro.

Seu formato estonteante
Produz eco retumbante
Altaneira e fulgurante
Máxima expressão de beleza
Montanha monumental
Soberana e colossal
Escultura especial
Do autor da natureza.


Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O PODER DA EDUCAÇÃO




Grandioso poder transformador
Ao saber dá mais legitimidade
Equilíbrio à personalidade
Enobrece a pessoa aonde for
É quem faz aumentar cada valor
É riqueza maior do cidadão
Qualquer tempo e qualquer ocasião
Ela dá para a vida um bom comando
É PRECISO SEGUIR ACREDITANDO
NO ENORME PODER DA EDUCAÇÃO.

Deveria ser bem reconhecida
A ciência que mais nos orienta
É a pedra angular que fundamenta
O mais firme alicerce para a vida
O ensinamento consolida
O caráter e a reputação
Por um povo educado em ação
Os caminhos do mundo vão mudando
É PRECISO SEGUIR ACREDITANDO
NO ENORME PODER DA EDUCAÇÃO.

Professores, educadores, pais
Do processo vocês são os agentes
Então devem ser sempre persistentes
Enfrentando os problemas atuais
Educar foi difícil e hoje é mais
É tarefa que exige prontidão
Paciência e abnegação
Em estradas sombrias caminhando
É PRECISO SEGUIR ACREDITANDO
NO ENORME PODER DA EDUCAÇÃO.

É preciso esforço e competência
É preciso políticas de incentivo
É preciso um bom plano educativo
É preciso trabalho e persistência
É preciso mostrar eficiência
É preciso maior dedicação
É preciso otimismo e muita ação
É preciso continuar lutando
É PRECISO SEGUIR ACREDITANDO
NO ENORME PODER DA EDUCAÇÃO.

Autor: Zé Bezerra