sábado, 21 de abril de 2018

A VOLTA DAS CHUVAS
















Toda a seca já desapareceu
O melhor pra o sertão aconteceu
Só em vinte e dois dias já choveu
Muito mais que o ano anterior
Para que se registre num caderno
Toda a vegetação tem novo terno
É outono mas vive-se o inverno
Tempo bom para todo agricultor.

As estradas de barro atolando
Alguns trechos do asfalto rebentando
Os açudes pequenos arrombando
Continua chovendo todo dia
Nos riachos e rios, muita enchente
A paisagem está toda diferente
É admiração pra toda gente
Que essas cenas há tempo não se via.

Com as chuvas que caem no sertão
Há lugares com muita inundação
Em setores da nossa região
Tinha açude há dez anos sem encher
Hoje estes estão a transbordar
Vê-se o povo feliz comemorar
Tudo isso que o céu veio nos dar
Temos muito que a Deus agradecer.

Na mudança que a natureza fez
Falta d'água acabou-se duma vez
O pipeiro agora sem freguês
Ocioso está em desvantagem
Pondo o seu capital para render
Sem achar outra coisa pra fazer
Diz que tem caminhão para vender
Pra não vê-lo trancado na garagem.

Com o solo bastante umedecido
Todo o pasto no campo está crescido
Cresce o milho, o feijão está florido
É sinal que a lavoura está segura
De arroz vai ser boa a produção
A colheita de toda a plantação
Já garante ao povo do sertão
Revitalização da agricultura.

A alegria parece ser geral
A bonança foi providencial
Todos viram no céu o bom sinal
Pelas nuvens formando um torreão
Aí descortinou-se a chuvarada
Tarde, noite e até de madrugada
E a terra está fértil e bem molhada
Com a volta das chuvas ao sertão.

Autor: Zé Bezerra





sábado, 14 de abril de 2018

PALAVRAS COM ALMA

É com fé, humildade e empatia
Com espírito de luz e confiança
Que podemos por alma nas palavras
Em mensagens de paz e esperança.

Quando a alma reveste as palavras
Elas são como fonte de energia
Emitindo uma força positiva
Que transforma tristeza em alegria.

As palavras com alma dão suporte
E alento a quem está em sofrimento
Permitindo a quem está confuso
Melhorar o direcionamento.

Pra dar alma as palavras que falamos
Precisamos viver a cristandade
E ter nosso espírito abastecido
De alegria, de paz e de verdade.

As palavras têm alma, se transmitem
Liberdade, justiça, amor e luz
Só assim elas podem apontar
Os caminhos que levam a Jesus.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 13 de abril de 2018

A ALEGRIA DA CHUVA

















Após um longo período
De seca continuada
As chuvas estão frequentes
A terra está bem molhada
Admiráveis paisagens
Com açudes e barragens
Enchendo na região
Isso há tempo não se via
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

Pouco choveu em janeiro
Fevereiro choveu mais
Março só choveu no fim
Abril o inverno traz
Presente da natureza
Acabou-se a incerteza
A água molhando o chão
Chove quase todo dia
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

Com tanta secura, a terra
Estava tão ressequida
Veio o período das chuvas
Revitalizando a vida
Dos vegetais brotam flores
No campo, os agricultores
Cuidam bem da plantação
Pra lavoura ser sadia
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

O sertanejo se anima
No trabalho do roçado
O agropecuarista
Fica feliz vendo o gado
De barriga cheia agora
Come pasto toda hora
Não quer saber de ração
Quem só farelo comia
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

Os cacimbões estão cheios
Os poços cheios também
As cisternas já transbordam
Açudes sangrando tem
Riachos com correntezas
Vão aumentando as represas
Com densa vegetação
A temperatura esfria
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

A grande escassêz de água
Está chegando ao final
Lavouras crescem nas roças
Em toda a zona rural
Quem luta na agricultura
Tem colheita com fartura
De milho, arroz e feijão
Jerimum e melancia
A chuva traz alegria
Para o povo do sertão.

Autor: Zé Bezerra




sábado, 7 de abril de 2018

AMOR À CRIAÇÃO E À NATUREZA













Não estamos sós no mundo
Outros estão com a gente
Preocupados ao vermos
Ataque ao meio ambiente
Junto aos nossos semelhantes
Nossos deveres constantes
São de cuidado e defesa
Uma importante ação
De amor à criação
Preservando a natureza.

Nós não somos uma ilha
No planeta em que vivemos
Juntos para cuidar dele
É obrigação que temos
Para o meio ambiente
Ser saudável para gente
Sendo fonte de riqueza
Sem haver poluição
Por amor à criação
Cuidemos da natureza.

A natureza depende
De cada um morador
Que deve amá-la e cuidá-la
Em qualquer lugar que for
Tenhamos a consciência
De que a nossa existência
Tem plenitude e beleza
Se temos convicção
De amar a criação
Cuidando da natureza.

Deus o Criador de tudo
Espera que nós humanos
Protejamos nossa terra
Pra não sofrer tantos danos
Com florestas sem queimadas
Cidades arborizadas
E a água da correnteza
Pura sem poluição
Por amor à criação
Cuidemos da natureza.

Autor: Zé Bezerra.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

SER LUZ PRA QUEM NÃO TEM LUZ














 
É bom ser luz para os outros
Orientador e guia
Aproximar-se de quem
Está só sem companhia
Mas às vezes falta ação
Para cumprir a missão
Ensinada por Jesus
Pra o mundo ser diferente
Não é fácil para gente
Ser luz pra quem não tem luz.

Quando a pessoa tem
Difícil compreensão
Com a alma esvaziada
Andando na escuridão
Pra tentar iluminá-la
E poder aproximá-la
Da Palavra de Jesus
Isso ocorre lentamente
Não é fácil para gente
Ser luz pra quem não tem luz.

É preciso fortaleza
E muita fé todo dia
Ação e desprendimento
Doação e empatia
Vocação e compromisso
Munido de tudo isso
O seu espírito o conduz
Na luta diariamente
Não é fácil para a gente
Ser luz pra quem não tem luz.

Abrir os olhos daqueles
Que não sabem enxergar
Mudar a mente de quem
É difícil acreditar
Sem pensar em prejuízos
Motivar os indecisos
Que se afugentam da cruz
Sem querer seguir em frente
Não é fácil para a gente
Ser luz pra quem não tem luz.

Autor: Zé Bezerra