terça-feira, 14 de novembro de 2017

QUEM LIBERTA E QUEM ESCRAVIZA

Quem liberta é a verdade
A ética e a confiança
O sonho e o otimismo
A fé a a esperança.

Quem escraviza é o ódio
O medo e o egoísmo
Inveja, indiferença
Desavença e fanatismo.

Quem liberta é a ternura
A calma e a alegria
A justiça e o perdão
O carisma, a empatia.

Quem escraviza é o mal
Desrespeito e imprudência
Ignorância e discórdia
Opressão e violência.

Quem liberta é gentileza
Mansidão, fraternidade
Harmonia e paciência
Simpatia e amizade.

Quem escraviza é a raiva
A soberba, a avareza
O escárnio, a grosseria
O desprezo, a malvadeza.

Quem liberta é a moral
O caráter e o pudor
O serviço, a doação
O bem, a paz e o amor.

Quem escraviza é o vício
A mentira, a traição
A injúria, a falsidade
E a alienação.

Que Deus sempre nos permita
Viver com dignidade
Cada dia nos livrando
Das algemas da maldade
Para a nossa vida ter
Plenitude e liberdade.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 12 de novembro de 2017

A PRÁTICA DO RESPEITO

A vida do ser humano
Tem qualidade e defeito
Por isso não pode ser
Vivida de qualquer jeito
Então é muito importante
Ser preservado o respeito.

Se há tanto preconceito
Em nossa sociedade
O respeito é um valor
Que desperta a amizade
Porque é indispensável
À vida em comunidade.

A solidariedade
Só quem respeita é quem tem
Saber que é dever zelar
Os direitos de alguém
Isso são obrigações
De quem é gente do bem.

Sem prejudicar ninguém
Quem respeita está atento
Para não causar ao outro
Maldade ou constrangimento
Mantendo o equilíbrio
Do relacionamento.

Mas quem possui o intento
De seguir na via errada
Avança em sinal vermelho
Estaciona em calçada
Mente, engana e fura fila
Sem ter respeito por nada.

Com ação que desagrada
Insiste em ser imprudente
Liga o som alto sabendo
Que o vizinho está doente
Joga o lixo em qualquer canto
Polui o meio ambiente.

Há muitos infelizmente
Que não sabem respeitar
Só vantagens para si
Em tudo querem tirar
E os direitos dos outros
Preferem ignorar.

É preciso ressaltar
Do respeito, o seu valor
Ele acontece na prática
Não tem partido nem cor
Assim para respeitar
Você precisa tratar
O seu próximo com amor.

Autor: Zé Bezerra


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

OLHOS LAVADOS POR LÁGRIMAS
















Quando os falecidos reverenciamos
Tendo em nossa alma sensibilidade
Faz crescer em nós a dor da saudade
Daqueles que foram quando nós ficamos.

Visitando os túmulos nos emocionamos
A recordação nossa mente invade
Daqueles que estão na eternidade
Aos quais, junto deles bons tempos passamos.

Os entes queridos que daqui partiram
Da nossa presença de fato sumiram
Estão seus espíritos noutra dimensão.

Pela terra os corpos foram aniquilados
Só restam soluços, peitos magoados
E os olhos por lágrimas lavados estão.

Autor: Zé Bezerra


terça-feira, 31 de outubro de 2017

A BUSCA DA ARTE DE VIVER

Viver bem é dar mais sentido à vida
É estar otimista  a cada dia
Tendo boa autoestima e empatia
Com a meta traçada e definida
Ser atento ao ponto de partida
Caminhar decidido sem temer
Empecilhos que venham acontecer
O esclarecimento dos motivos
Vai cobrar que se tenha objetivos
Pela busca da arte de viver.

Pondo em Deus irrestrita confiança
Por amor, esperança e pela fé
Já que este é o principal tripé
Que à vida dá luz e segurança
Começando na fase de criança
As estradas do mundo a percorrer
São inúmeras lições para aprender
A sonhar com um mundo diferente
E poder batalhar diariamente
Pela busca da arte de viver.

Se a vida apresenta desafios
Isso é claro e não deve ter segredos
Sem coragem ninguém enfrenta os medos
E os efeitos dos casos mais sombrios
Para diminuir os calafrios
Cada um é preciso perceber
Que o bem é que vai prevalecer
Os bons frutos começam a ser colhidos
Os projetos de morte são banidos
Pela busca da arte de viver.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

CARTA BRANCA À CORRUPÇÃO















Por pequena  maioria
A máfia organizada
Fez a segunda denúncia
De Temmer ser arquivada
Com votos negociados
Os capachos deputados
Pelo "toma lá dá cá"
Em espúrias decisões
Mais uma vez os ladrões
Livraram o Alibabá.

Antes quem blindou o Temmer
Fez tudo agora de novo
Indivíduos que não têm
Consideração ao povo
Respeito nenhum tiveram
E em conluio fizeram
O cambalacho por lá
Causando indignações
Mais uma vez os ladrões 
Livraram o Alibabá.

Os traidores do povo
Inimigos da nação
Deram outra carta branca
Ao roubo, à corrupção
Por conchavos na surdina
Patentearam a propina
Neste país que está
Entregue aos charlatões
Mais uma vez os ladrões
Livraram o Alibabá.

Esses fisiologistas
Todos serão candidatos
E querem no próximo ano
Renovar os seus mandatos
Mas desses tais deputados
Sujeitos apaniguados
O povo se vingará
Nas futuras eleições
Mais uma vez os ladrões
Livraram o Alibabá.

Autor: Zé Bezerra.