segunda-feira, 30 de maio de 2016

HOMEM QUE É HOMEM NÃO CHORA














"Homem que é homem não chora"
É uma frase machista
Sobre a mesma tem-se hoje
Um novo ponto de vista
Se há alguém que a diga
É mentalidade antiga
Que está fora da lista.

Foi-se o tempo em que o homem
Para poder demonstrar
Ter coragem, ter bravura
E força para mandar
Com superioridade
E ser macho de verdade
Jamais podia chorar.

Esse pensar atrasado
Felizmente foi mudando
As arestas do machismo
Aos poucos foram quebrando
Hoje sem impedimento
Por força do sentimento
É normal homem chorando.

Ideias ultrapassadas
Estão sem nenhum valor
Pelo choro se extravasa
Emoção interior
Dessa que ao coração trava
Shakespeare afirmava
"Choro diminui a dor."

Autor: Zé Bezerra

domingo, 29 de maio de 2016

APRENDER COM A VIDA

Em todas as circunstâncias
Saber viver é preciso
Agindo com bom juízo
O plano não sai errado
E a luta não é perdida
Quando a gente faz da vida
Um constante aprendizado.

Quando se usa o bom senso
Sempre é boa a decisão
Predominando a razão
Tudo é feito com cuidado
Numa ação bem dirigida
Quando a gente faz da vida
Um constante aprendizado.

A vida é uma escola
Para todas as pessoas
Somente das lições boas
Colhe-se bom resultado
E o bem se consolida
Quando a gente faz da vida
Um constante aprendizado.

Se a cada dia que passa
Estamos a aprender
Façamos nosso viver
Ser bem direcionado
Mas só há boa saída
Quando a gente faz da vida
Um constante aprendizado.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 27 de maio de 2016

UM GOLPE NO POVO


















Não é pregar derrotismo
É por não acreditar
Que o país vai melhorar
E tudo vai ficar bem
O fracasso continua
Sem um fim para o dilema
Tudo é na base do lema
Da cantiga da perua.

Saiu um governo fraco
Entrou um mais fraco ainda
Desse jeito não se finda
Essa onda mal fadada
Esse destempero forte
E frente a tanto desmando
A gente fica exclamando
Ô Brasil de pouca sorte!

Quando a febre do Impeachment
No Congresso evaporou
Assistimos ao show
Dos fariseus demagogos
Nos dando indignação
Tanta mediocridade
Por mostrarem na verdade
Quem realmente eles são.

A Dilma roxa de raiva
Desgrudou-se do poder
Muitos sentiram prazer
Pelo tamanho da queda
E o desfecho infeliz
Daquela que afastou-se
Mas ninguém preocupou-se
Com os problemas do país.

Por cento e oitenta dias
Entra um governo interino
Que de modo repentino
Quer agradar as elites
Mas tem pouca confiança
Tanto ele e seu partido
Um governo travestido
Por uma falsa mudança.

Há jogos de interesses
Muito corporativismo
Reforço ao capitailismo
Retorno a práticas antigas
Porque esses tais senhores
Amantes do retrocesso
Governam com um Congresso
Cheio de conservadores.

Ministros com ficha suja
Pra fazer vergonha ao povo
Estão no governo novo
Um já caiu, mas tem mais
Cúmplices da Lava Jato
Os escândalos continuam
As máfias se perpetuam
E a nação paga o pato.

É o Brasil se afundando
Numa crise sem limite
Nada é feito que evite
Desemprego e inflação
A corrupção de novo
Tem seu time reforçado
E um golpe bem aplicado
Está nas costas do povo.

Autor: Zé Bezerra





quarta-feira, 25 de maio de 2016

MAIS VALIA - NÃO TEM VEZ

Neste contexto atual
Ouve-se no dia a dia
Reportagem, comentários
Acerca de economia
Mas ninguém vai para a mídia
Falar sobre a mais - valia.

Nesse assunto ninguém toca
Nem sequer nos bastidores
Porque no capitalismo
Ocultam-se os valores
De tudo aquilo que possa
Ser bom pra os trabalhadores.

Na mais - valia, o lucro
Tinha destino contrário
Seria bem dividido
Entre cada operário
Havendo assim um nível
Positivo de salário.

A maioria é quem vai
De encontro à exploração
A renda é distribuída
Com quem gera a produção
Ao capital ela segue
Uma oposta direção.

Para acumular riquezas
Não há espaço nenhum
Numa união coletiva
Em favor de cada um
Com a força do trabalho
Voltada ao bem comum.

Enfim nessa conjuntura
Da qual o lucro é freguês
O operário não cresce
Quem ensina é o burguês
Então é muito difícil
A mais - valia ter vez.

Autor: Zé Bezerra






quarta-feira, 18 de maio de 2016

TEMOS QUE FAZER BONITO

















Este dezoito de maio
É uma data marcante
De aspecto relevante
E de sentido irrestrito
Faz renascer esperanças
Na proteção das crianças
Temos que fazer bonito.

É uma data de luta
Um Dia Nacional
Contra abuso sexual
Devemos soltar o grito
Em favor de inocentes
Crianças, adolescentes
Temos que fazer bonito.

Esse crime hediondo
De consequências piores
Cometido com menores
Traz sofrimento infinito
Essas práticas ilegítimas
Em defesa dessas vítimas
Temos que fazer bonito.

Contra esses indivíduos
Elementos desumanos
Estupradores tiranos
Tem que haver um veredito
Que castiga e não tolera
Pela punição severa
Temos que fazer bonito.


Autor: Zé Bezerra