segunda-feira, 19 de junho de 2017

FAMÍLIA CRISTÃ















Se a família cristã
Vive a palavra de Deus
Está bem unida aos seus
Evitando dissabor
Estando aberta ao perdão
Família é casa do pão 
Da partilha e do amor.

O certo mesmo seria
Que a família aprendesse
Os valores e crescesse
Zelando cada valor
Num ambiente cristão
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Sabendo o que é a fé
Colocando a fé na vida
A família vive unida
Pelas bênçãos do Senhor
E a força da oração
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Espiritualidade
Participação e paz
Com isso a família faz
Da convivência um primor
Na estável relação
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Deus mande até as famílias
Daqui e do mundo inteiro
Seu divino mensageiro
Um anjo educador
Com a seguinte lição:
Família é casa do pão
Da partilha e do amor.

Autor: Zé Bezerra



quinta-feira, 15 de junho de 2017

NAMORO COM OBJETIVOS

















Antes o namoro era
Tempo de descobrimento
Por ser visto como sério
O relacionamento
A medida que se amava
O casal se preparava
Tendo em vista o casamento.

Havia planejamento
Ninguém namorava à toa
O jovem com compromisso
Só pensava em coisa boa
O namoro era marcante
Por ser etapa importante
Para a vida da pessoa.

A família era a coroa
Pelos dois bem acolhida
Que após o casamento
Ia sendo construída
Na busca desse ideal
Era o lar para o casal
O alicerce da vida.

Como um ponto de partida
Pra o tempo posterior
O conhecimento mútuo
Caráter em alto valor
Sem ideias infantis
Cada um sendo feliz
Dando e recebendo amor.

Um período promissor
Com diálogo e com prudência
Para decisões tomadas
Por uso da consciência
Buscando união estável
O que é indispensável
Para a boa convivência.

Nessa ótica a existência
Ia sendo projetada
Duas vidas numa vida
No namoro começada
Com amor no coração
A verdadeira união
Ficava consolidada.

Mas nesta época avançada
Que a moral se distancia
Impera a libertinagem
Aumenta a pornografia
Por sumiço do decoro
Um puro e sério namoro
É muito raro hoje em dia.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 11 de junho de 2017

DEUS NÃO CONDENA NINGUÉM


















Por ser Deus fonte de amor
Do bem da paz, da concórdia
Usa de misericórdia
Para com o pecador
Como um avaliador
Do mal que nós praticamos
Se do bem nos desviamos
Mas Ele só nos quer bem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Ficamos indiferentes
Às lições que Deus ensina
Sem seguir sua doutrina
Nos tornamos negligentes
Somos desobedientes
No lado errado ficamos
Na contramão trafegamos
Certos que o perigo vem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Deus a todos abençoa
Levanta quem está na lama
É Pai que acolhe e ama
Reconcilia e perdoa
Recompensa a ação boa
Quando um de nós praticamos
E toda vez que erramos
Devemos entender bem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Quem de Deus tem se afastado
E depois pensa em voltar
O Pai que só sabe amar
Não o deixa desprezado
Cada um de nós tem dado
Maus exemplos e pecamos
Se no mal caminho estamos
A culpa a gente é quem tem
Deus não condena ninguém
Nós é que nos condenamos.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 27 de maio de 2017

A FEBRE DA POESIA















A febre da poesia
Revoluciona a mente
O pensamento estremece
Num barulho que parece
Um rio com forte enchente.

Com mais criatividade
Brilha a imaginação
Pela força dos sentidos
Neurônios são aquecidos
Nas chamas da inspiração.

Ideias geram palavras
Palavras constroem versos
Que das estrofes são laços
Para ocuparem espaçoa
Nos lugares mais diversos.

Os poemas que são feitos
Trazem boa aprendizagem
E informação completa
Ao bom leitor que interpreta
O contexto da mensagem.

A forma, o estilo, o gênero
O eu lírico, a fantasia
Vão dando vida a cultura
Em uma literatura
Imersa na poesia.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 26 de maio de 2017

OLHANDO O ROSTO DE DEUS






















Eu identifico o rosto
Do Santo Deus Jeová
Na pessoa que está
Sofrendo grande desgosto
No indivíduo indisposto
Que apresenta sinais
De medo e falta de paz
Abandonado dos seus
Enxergo o rosto de Deus
Naqueles que sofrem mais.

Nos idosos desprezados
Pelos seus familiares
Os que só vivem nos bares
Na bebida viciados
E os que vivem drogados
Da morte correndo atrás
Porque os casos letais
Surgem pelos atos seus
Enxergo o rosto de Deus 
Naqueles que sofrem mais.

Crianças, adolescentes
Sem pátria, sem lar, sem nome
Vítimas da guerra e da fome
Extremamente carentes
Desnutridos e doentes
Muitos sem mães e sem pais
Pra esses o amor jaz
Deram à esperança adeus
Enxergo o rosto de Deus
Naqueles que sofrem mais.

Nos que estão acometidos
De doenças incuráveis
Com dores insuportáveis
Anêmicos,enfraquecidos
E os que são excluídos
Das camadas sociais
Muitos que sofrem demais
Sejam crentes ou ateus
Enxergo o rosto de Deus 
Naqueles que sofrem mais.

Autor: Zé Bezerra