quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

AVALIAR-SE PARA PODER SEGUIR












É mais um ano que finda
E a nossa vida flutua
No tempo que continua
Sua marcha inalterada
Buscando outra trajetória
Vê-se no livro da história
Mais uma página virada.

É hora de avaliarmos
Neste ano o que fizemos
Os erros que cometemos
Nossas fraquezas maiores
Fazer isso é um dever
Pra depois podermos ser
Mais sensatos e melhores.

É bom que se analise
Nossas ações praticadas
As atitudes tomadas
De apoio e acolhida
Que aos outros fomos dando
Seguindo em frente e olhando
O retrovisor da vida.

Até que ponto nós fomos
Grosseiros, indelicados
Ou bem intencionados
Lutando em prol de alguém
Neste âmbito social
Fomos parceiros do mal
Ou partidários do bem?

Então é bem oportuno
Fazermos a revisão
Aprumando a direçlão
Reequilibrando o plano
Com os olhos bem abertos
Para dar passos mais certos
Nas trilhas do novo ano.

Autor: Zé Bezerra



segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

FELIZES OS MANSOS





















Quem é manso está sereno
Em muitas ocasiões
Mantém a tranquilidade
Em meio as agitações
E não se deixa arrastar
Pelas fortes emoções.

A pessoa que é mansa
Sabe agir com paciência
Relaciona-se bem
Mantém boa convivência
E jamais pratica atos
De vingança ou violência.

Quem vive a mansidão
A sua calma é maior
E até nos momentos críticos
Consegue passar melhor
Podendo até transformar
O mundo ao seu redor.

A mansidão nunca deve
Ser vista como fraqueza
Nem ato de coimodismo
De medo e de incerteza
Por tratar-se de virtude
De inconparável grandeza.

O manso é sempre tranquilo
Em todo lugar que for
O seu coração é leve
Não guarda mágua ou rancor
Diz Jesus que a mansidão
É qualidade do amor.

Sobre as bem -aventuranças
Na montanha em seu sermão
Em Mateus, capítulo cinco
Jesus nos dá a lição
Afirmando que os mansos
A terra possuirão.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 26 de dezembro de 2015

ESTÊVÃO, O PROTOMÁRTIR



















Estêvão, o primeiro mártir
Repleto do Espírito Santo
Na hora do seu martírio
Da morte não teve espanto
Frente a algozes ateus
Olhava a glória de Deus
E com seus gestos divinos
Cheio de graça e de luz
Fez do jeito de Jesus
Orou por seus assassinos.

Não temendo as ameaças
Ele não solenciou
Pela fé em Jesus Cristo
O seu sangue derramou
Estêvão enquanto pregava
Sem medo denunciava
Libertos e alexandrinos
Chamando-os de traidores
No auge das suas dores
Orou por seus assassinos.

Injustamente sofreu
A maior atrocidade
Bruscamente o arrastaram
Para fora da cidade
Depois de muito humilhado
Ele sendo apedrejado
Dos anjos ouvia os hinos
Nos últimos momentos seus
Entregando a alma a Deus
Orou por seus assassinos.

Autor: Zé Bezerra



sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

NÃO PARECE SER NATAL
















Natal é a celebração da vida
A festa do amor, do bem, da paz
Feliz época do ano que jamais
Pela humanidade é esquecida.

Mas quem está com a mente envolvida
Em modismos e estilos sociais
Uma festa bem diferente faz
Que não é com Natal nem parecida.

Ceias fartas e jantares requintados
Concorridos banquetas multicores
Consumismo excludente e desigual.

Quase todos os natais comemorados
Não têm ligação com os valores
Do verdadeiro espírito do Natal.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 19 de dezembro de 2015

OTIMISMO NO DIA A DIA

É de fato muito bom
Esse momento feliz
Quando de noite se diz
Com a consciência plena
Manifestando prazer
Para os outros dizer
O dia valeu a pena.

Passadas as doze horas
Se tudo ocorreu normal
O prazer é sem igual
Que faz com alma serena
Olhar para trás e ver
E satisfeito dizer
O dia valeu a pena.

Quando foi bem proveitoso
Todo o trabalho feito
A alegria no peito
Nunca se torna pequena
E ajuda a gente fazer
A nossa prece e dizer
O dia valeu a pena.

Mas se o esforço foi grande
E as coisas não deram certo
Se tudo ficou deserto
Se alguém roubou a cena
Botando tudo a perder
Mesmo assim é bom dizer
O dia valeu a pena.

Seja na lida diária
Em viagem ou diversão
Ou qualquer ocupação
Que o dia a dia ordena
Deve-se agradecer
A Deus por tudo e dizer
O dia valeu a pena.

Autor: Zé Bezerra



 











































quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

TRISTEZA & SAUDADE

A tristeza é sentimento
Bem forte, mas passageiro
O que dura o tempo inteiro
Que é leve mas causa estresse
É a saudade que mora
A tristeza vai embora
E a saudade permanece.

Se a tristeza provoca
Reflexos absolutos
Mas depois de alguns minutos
Ela já desaparece
A saudade não cai fora
A tristeza vai embora
E a saudade permanece.

A pessoa fica triste
Mas depois é consolada
Já a saudade é plantada
No peito e depois que cresce
Faz efeito a qualquer hora
A tristeza vai embora
E a saudade permanece.

Se a saudade é mais branda
Mas machuca o coração
Cultiva a recordação
Do que ninguém não esquece
Já a tristeza apavora
A tristeza vai embora 
E a saudade permanece.

Convive-se com saudade
A tristeza logo passa
Compara-se à fumaça
Que rápido desaparece
Mas a saudade demora
A tristeza vai embora
E a saudade permanece.

Autor: Zé Bezerra



terça-feira, 15 de dezembro de 2015

QUEM TEM MÁGOA...






















Quem conserva uma vida amargurada
Tem o comportamento masoquista
Sua mentalidade é pessimista
Está cheia de pedra a sua estrada
Diz que a vida não vale quase nada
Não encontra sentido no viver
E em vez de subir só faz descer
Em lugar de sucesso é só fracasso
Quem tem mágoa não pode dar espaço 
Para a felicidade e o prazer.

Quem está com o coração pesado
Com angústia e descontentamento
Mergulhado no aborrecimento
Padecendo com o peito magoado
Certamente está predestinado
Ao desgaste agressivo do sofrer
Não quer dar nem prefere receber
Do seu próximo, a estima e o abraço
Quem tem mágoa não pode dar espaço
Para a felicidade e o prazer.

Quem odeia o outro e não perdoa
Dominado pela ignorância
A soberba, o orgulho, a arrogância
Desse modo está agindo à toa
É bastante infeliz uma pessoa
Que só sabe valorizar o ter
No seu cego egoísmo vai dizer
Que na trilha do amor não dá um passo
Quem tem mágoa não pode dar espaço 
Para a felicidade e o prazer.

Autor: Zé Bezerra


segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

ALDEIA GLOBAL

















Nós humanos residimos
Em uma aldeia global
Há muitos fatos que ocorrem
De repercussão geral
Com exceção de alguns
Tem situações comuns
Num contexto universal.

Nas mais diversas esferas
Existem integrações
Numa ampla sintonia
Por longínquas regiões
O mundo é globalizado
Por isso é interligado
Pelas comunicações.

Distâncias são encurtadas
Por vias espaciais
A internet aciona
Suas redes mundiais
Que crescem todos os dias
Pelas tecnologias
Modernas e digitais.

Na dimensão mundial
Vê-se um avanço profundo
Pois tudo que acontece
Nos quatro cantos do mundo
Estamos ouvindo e vendo
E das notícias sabendo
Numa fração de segundo.

Com relação às finanças
É maior a sintonia
A cotação das moedas
De repente influencia
No mercado turbulento
Qualquer acontecimento
Afeta a economia.

Nesta aldeia, o clima causa
Tempestades e garoas
Muitas coisas acontecem
Com a vida das pessoas
E por todos os confins
São mais as coisas ruins
E menos as coisas boas.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

NÃO É TÃO SIMPLES SER BOM

















É importante ser bom
Mas não é apenas isso
É preciso compromisso
Consciente e gradual
No dia a dia da gente
Pra ser bom não é somente 
Deixar de fazer o mal.

Não é só fugir da treva
É fazer uma opção
Enérgica de conversão
Coletiva e pessoal
Verdadeira e exigente
Pra ser bom não é somente
Deixar de fazer o mal.

Tem que ser luz para os outros
Está disposto a servir
Generoso no agir
Considerando-se igual
De ninguém passar na frente
Pra ser bom não é somente
Deixar de fazer o mal.

O ser bom tem mais sentido
Se as ações praticadas
Estão direcionadas
A uma meta ideal
Que tem sempre o bem presente
Pra ser bom não é somente
Deixar de fazer o mal.

Ser bom é fazer o bem
Sem aguardar recompensa
É fazer a diferença
Nesse mundo desigual
Vivendo fraternalmente
Pra ser bom não é somente
Deixar de fazer o mal.

Autor: Zé Bezerra


segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A CRISE POLÍTICA
















Na política, a crise é mais
Que a da economia
Neste país ela está
Aumentando a cada dia
O cerco vai se fechando
Essa onda de desmando
O povo não merecia.

Nossa pátria brasileira
Vai ficando paralítica
E essa realidade
Cada vez fica mais crítica
Só surge coisa pior
E o descrédito maior
Está na classe política.

Vergonha e honestidade
Já ficaram para trás
A crise atinge todas
As camadas sociais
Protesta a população
Pela alta da inflação
E corrupção demais.

Grande parte dos políticos
Por ninguém não tem respeito
Suas atitudes deixam
Todo o povo insatisfeito
E nesses momentos críticos
Muitos dizem que os políticos
São todos do mesmo jeito.

As brigas pelo poder
Só geram contradições
Suborno, roubo, propina
São práticas desses ladrões
Irritado o povo diz
Que neste nosso país
Tem poucos políticos bons.

Enfim, a crise política
É desgastante e medonha
Que isso um dia melhore
A população não sonha
Porque vê que no Brasil
Talvez tenha em cada mil
Um político de vergonha.

Autor: Zé Bezerra





A FÉ EM DEUS

















Tomada pelo desânimo
Qualquer pessoa esmorece
Medo e preocupação
Fazem crescer o estresse
Mas frente a esses problemas 
A fé em Deus fortalece.

Se a autoestima baixa
De certas coisas nos priva
Se a tristeza bloqueia
Qualquer iniciativa
A vencer os obstáculos
A fé em Deus nos motiva.

Cansados e abatidos
Devido o peso da cruz
Tentados para ficar
Afastados de Jesus
Em meio à escuridão
A fé em Deus nos dá luz.

Ao sofrer as consequências
De um turbulento clima
Sem levantar-se da queda
Sem dar a volta por cima
Nesses momentos difíceis
A fé em Deus nos anima.

Se um horizonte confuso
Em nossa frente desponta
E a travanca da desdita
Cada vez nos amedronta
O rumo certo da vida
A fé em Deus nos aponta.

Autor: Zé Bezerra


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O MUNDO SÓ MUDA PELA EDUCAÇÃO

Uma frase genial
Dita por Nelson Mandela
Aqueles que pensam bem
Devem concordar com ela
Convicto e com segurança
Ele afirma que mudança
Para se concretizar
Tem que haver transformação
É pela educação 
Que o mundo pode mudar.

A educação transforma
Na pessoa o pensamento
Os gestos, as atitudes
E todo o comportamento
O indivíduo educado
Está melhor preparado
Com condiçõrs de atuar
Tendo uma clara visão
É pela educação 
Que o mundo pode mudar

Só a educação traz
Para a gente coisas boas
Situações favoráveis
Para a vida das pessoas
Moral, caráter e prudência
Bom nível de consciência
E desejo de inovar
O perfil de cidadão
É pela educação
Que o mundo pode mudar.

A família que educa
A escola que ensina
Que forma e que orienta
Com norma e com disciplina
Saberes adquiridos
Os cidadâos instruídos
Veem com um outro olhar
Do tempo a evolução
É pela educação
Que o mundo pode mudar.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 14 de novembro de 2015

O MUNDO NÃO SE IMPORTA COM VOCÊ

















As transformações do mundo
Umas são ruins, outras boas
E na vida das pessoas
Pode haver transformação
É um processo evidente
Que se dá independente
De alguém prestar ou não.

Quando uma pessoa afirma
Sobre o tempo reclamando
Que o mundo ficou prestando
Depois que ela não presta
Não tem que indignar-se
Só precisa conformar-se
Que a marcha do mundo é esta.

Se você é pessimista
E está com baixo astral
Só diz que tudo vai mal
Com tanta coisa mudada
Encare oi mundo e prossiga
Vá a frente só não diga
Que não presta mais pra nada.

Se no seu tempo de jovem
De tudo tirou proveito
Agora de outro jeito
Busque ser feliz porque
Se o mundo está melhor
Ou então ficar pior
Não se importa com você.

Autor: Zé Bezerra


domingo, 8 de novembro de 2015

POUCO SE INVESTE EM CULTURA














Importante é pensar e fazer versos
Dá a verve maior desenvoltura
Com as musas ficar em sintonia
Dando um toque de leve na poesia
Substância maiúscula da cultura.

Inventando e buscando iluminura
Pra criar, produzir e recriar
No embalo das manifestações
Para ter crescimento as criações
A cultura é quem faz alavancar.

A cultura exige cultivar
Suas bases, seus focos principais
Faz cultura quem dinamiza a mente
Para modificar o ambiente
Preservando as raízes culturais.

Mas sem bons incentivos ninguém faz
A cultura ser mais estruturada
Pelas situações que são tão críticas
Era indispensável ter políticas
Para ela ser revitalizada.

A cultura não é valorizada
Porque há muito pouco investimento
O notório descaso contradiz
Municípios, estados e o país
Quando pensam em desenvolvimento.

Autor: Zé Bezerra



sábado, 31 de outubro de 2015

SERTÃO ESTURRICADO

















A prolongada estiagem
Descoloriu o sertão
Acabou-se a plantação
Nas árvores não há folhagem
Não tem água na barragem
Falta ração para o gado
Sertanejo aperriado
Olha triste o que restou
A grande seca deixou
O sertão esturricado.

No sítio de bananeira
Só palha seca espalhada
Cajaraneira pelada
Não tem rama a goiabeira
Em cada estrada a poeira
Deixa o tempo acinzentado
O carão foi desterrado
Sumiu, nunca mais cantou
A grande seca deixou
O sertão esturricado.

Fica a terra seca ardendo
Devido a forte quentura
Com alta temperatura
A sequidão vai crescendo
A vegetação morrendo
Da caatinga  até o prado
O juazeiro copado
Só esse verde ficou
A grande seca deixou
O sertão esturricado.

Ninguém vê a juriti
Na chapada ou na colina
Não tem galo de campina
Canário e nem bentevi
A passarada dali
Tomou rumo ignorado
Sabiá está calado
Calou-se a "fogo - pagô"
A grande seca deixou
O sertão esturricado. 

Tanto tempo sem chover
Rã não coaxa no pote
Bode não pula em serote
Porque falta o que comer
Sem nada pra colher
Fica o camponês parado
Sem produção, seu roçado
Abandonado ficou
A grande seca deixou
O sertão esturricado.

Autor: Zé Bezerra



quarta-feira, 28 de outubro de 2015

LONGE DA LUZ

















Luz aqui significa
Andar por um bom caminho
Não fazer ato mesquinho
De paz ter a alma rica
Contudo se alguém pratica
Coisa errada não faz jus
Se alicia e induz
As pessoas para o mal
Usando prática ilegal
Fica distante da luz.

Indivíduo interesseiro
Desonesto, inconsequente
Mentiroso, insolente
Vigarista, trapaceiro
De olho só no dinheiro
A ambição o conduz
Sua conduta traduz
Todo tipo de maldade
Quem é dessa qualidade
Fica distante da luz.

Não pratique corrupção
Não minta, não desacate
Não descrimine, não mate
Não prejudique o irmão
Não negue ao faminto um pão
Não descarte a sua cruz
Não crucifique Jesus
Não pegue em lanças agudas
Não faça como fez Judas
Não fique longe da luz.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 24 de outubro de 2015

DOIS MUNDOS E SUAS IMPLICAÇÕES

















Parafraseio Frei Beto
Um escritor genial
Que criticamente aborda
A situação real
E as implicações nos mundos:
O real e o virtual.

Diz que o mundo pós-moderno
É muito fragmentado
O relacionamento
Humano tem esfriado
Mediante as circunstâncias
De um tempo embaralhado.

O virtual nos coloca
Fora da realidade
Egoístas e avessos
À sociabilidade
Olhando um palco vazio
Onde há pouca verdade.

Somos pelo cibervício
Contaminados demais
E nossa privacidade
Reservada não é mais
Porque está invadida
Pelas redes sociais.

Esta avalanche moderna
Escraviza a cada dia
A grandeza dos valores
O modismo desafia
Depois que ficamos presos
Pela tecnologia.

Estamos acometidos
Por forte alienação
Digitando o celular
Com a internet na mão
Pela janela eletrônica
Tendo uma estreita visão.

Pela virtualidade
Estamos acorrentados
Do que é longe de nós
Ficamos aproximados
E daquilo que é perto
Literalmente afastados.

Assim somos tripulantes
Desse navio global
Em que o mundo presente
Deu lugar ao virtual
E à luz do capitalismo
O individualismo
Age com força total.

Autor: Zé Bezerra


quinta-feira, 15 de outubro de 2015

PROFESSORES EDUCADORES
















Aplausos ao professor
E a professora também
Que ensina, que educa
Fazendo o trabalho bem
E sem medir a distância
Sabe muito a importância
Que esta profissão tem.

Louvor aos educadores
Aptos e inteligentes
Criativos, dedicados
Dinâmicos, experientes
Demonstrando seguranças
Na formação de crianças
Jovens e adolescentes.

Parabéns a esses mestres
Que fazem tarefa intensa
Com projetos que merecem
O destaque da imprensa
Pelo desempenho deles
Na sala de aula, eles
Fazem toda diferença.

Aclamação para esses
Que educam ensinando
Trabalham por vocação
Comprometidos doando
Amor e sabedoria
Transformando a cada dia
A vida do educando.

Reconhecimento pleno
Pelo esforço, a vontade
Empenho, protagonismo
A responsabilidade
A prática e a disciplina
De quem realmente ensina
E educa de verdade.

Homenagem, elogio
Respeito, admiração
A quem prepara a criança
Para ser bom cidadão
Transmitindo ensinamento
Moral e conhecimento
Decência e educação.

Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A HONRA DE SER NORDESTINO


















Somos todos habitantes
De um país continental
Desse Brasil tropical
Somos seus filhos latinos
Aqui felizes estamos
E muito nos orgulhamos
Porque somos nordestinos.

A frase de "Os Sertões"
Livro de Euclides da Cunha
É legítima testemunha
Que confirma e dá suporte
Expressa no certo ensejo
"Nordestino sertanejo
É antes de tudo um forte".

É bom ter no calendário
O dia do nordestino
Em homenagem ao ladino
Poeta de luz e fé
Gênio da arte expressiva
O famoso Patativa
Cearense de Assaré.

Nordestinos do sertão
Caboclos trabalhadores
Vaqueiros, agricultores
Operários e patrões
Artesãos, artistas, craques
São notáveis os destaques
Em todas as profissões.

A cultura nordestina
Tem valioso conceito
Por ser nobre impõe respeito
É recheada do novo
De infindável memória
Autêntico marco da história
Patrimônio do seu povo.

No convívio com a seca
Nordestino sofre tanto
Luíz Gonzaga em seu canto
Chamou-o "Cabra da peste"
Pelo seu jeito de ser
Pra nós é honra e prazer
Sermos filhos do Nordeste.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

SER CRIANÇA É MUITO MAIS













Desde o desabrochar da existência
Deus dá a este ser mais preferência
Com meiguice, doçura e inocência
Representa a paz, a esperança
Resplandece igual a lâmpada acesa
Pela serenidade e singeleza
Envolvida num manto de pureza
Vem viver neste mundo uma criança.

Ser humano no limiar da vida
Com direito de ser bem acolhida
Bem cuidada, amparada e protegida
Para ter crescimento sem tardança
O carinho se torna indispensável
Ela deve viver e ser saudável
Já que é infinito, incomparável
O valor que possui uma criança.

O frescor do romper da alvorada
O alegre cantar da passarada
Uma noite serena, enluarada
Um canário num galho que balança
A leveza da brisa matinal
As matizes do espaço sideral
Nada disso consegue ser igual
Ao sorriso inocente da criança.

Pode o homem tornar-se embaixador
Magistrado com título de doutor
Cientista, astronauta, promotor
Estadista de grande liderança
Os que exercem maior autoridade
Se não têm a decência, a humildade
Não possuem um quarto da metade
Das virtudes que tem uma criança.

Há quem diga que fama é importante
Ter dinheiro isso é mais interessante
Que ser ídolo é algo deslumbrante
É privilegiado quem alcança
A vitória e faz comemoração
Sendo orgulho até para a nação
Mas além de um troféu de campeão
Muito mais importante é ser criança.

Autor: Zé Bezerra

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

ISSO É PARTIDO DEMAIS !

















Brasil, país democrático
Com princípios definidos
Constitucionalmente
Todos estão garantidos
Mas talvez não traz progresso
Esse exagero, esse excesso
De trinta e quatro partidos.

Citar as siglas de todos
Vai dar trabalho porque
São muitas e parecidas
Como PP e PT
PRTB e DEM
PSDB e PEN
Já é demais tanto P.

Há o PMDB
O mais antigo partido
PDT e PTB
No rol também inserido
PTC está na lista
Um partido trabalhista
Que não é bem conhecido.

Ainda o PC do B
Um partido comunista
PSB que se diz
Da linha socialista
PSC aparece
Com PV e PPS
Para aumentar a lista.

Exciste o PRP
Partido republicano
PT do B, PTN
O PCB tem seu plano
Nenhum partido é perene
E tem o PMN
Que é quase veterano.

PHS e PR
PSTU e PROS
PCO, PRB
SD que veio após
Tem o PSDC
PSOL e PSD
Que cresceu muito veloz.

O PSL tem
Seus aspectos liberais
O NOVO e o PPL
Com suas credenciais
Querendo atrair o povo
REDE, o partido mais novo
Isso é partido demais!

Diante dessa avalanche
Cabe ao povo investigar
Para saber se ainda
Existe em quem confiar
Sempre um sobe e outro cai
E o eleitor, em quem vai
Acreditar e votar ?

Autor: Zé Bezerra


sábado, 26 de setembro de 2015

A REALIDADE DOS PRISIONEIROS POBRES


















No Brasil a cada dia
Cresce a criminalidade
E a segurança pública
Não nos dá tranquilidade
Com tanto efeito contrário
O sistema carcerário
É uma calamidade.

Como o ato de prender
É comum pra punição
São muitos diariamente
Que para a cadeia vão
Com presos aglomerados
Os presídios são inchados
Pela superlotação.

Vivem esses elementos
Em condições infernais
Naquele antro se tornam
Os piores animais
Porque dentro do xadrez
Numa cela para seis
Colocam dezoito ou mais.

Constata-se muitas vezes
Que o sujeito detento
Antes de ali dá entrada
Tinha um bom comportamento
Mas depois de ser trancado
Com os demais misturado
Fica muito violento.

Num estado deplorável
De desumanização
E de promiscuidade
Vive quem cai na prisão
Sob as normas punitivas
Com poucas perspectivas
De reabilitação.

Mais de noventa por cento
Dos que são encarcerados
São pobres desprotegidos
Negros marginalizados
Esses mofam na prisão
Por não terem condição
De pagar advogados.

De uma educação falida
Isso tudo é consequência
Nem governo, nem justiça
Não previnem a delinquência
Só fazem encher cadeias
E estas quanto mais cheias
Mais aumenta a violência.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

ESCOLAS NÃO ENSINAM CIDADANIA
















Há professor de História
Arte e Sociologia
De Ciências Naturais
De Química e Biologia
Mas é raro encontrar quem
Ensine Cidadania.

Professor de Português
De leitura e redação
De desenho e Matemática
Jogos e recreação
Difícil é existir quem
Ensine a ser cidadão.

Aulas de Educação Física
E de Psicologia
Ensino Religioso
De música e Geografia
Mas nas escolas não tem
Aulas de Cidadania.

Vê-se projeto de escola
Incoerente, imaturo
Com metas equivocadas
De resultado inseguro
Que na verdade não formam
Cidadâos para o futuro.

Escolas que o tempo todo
Vão seguindo em outra estrada
Não fazem o estudante
Ter a vida transformada
E nem a sociedade
Ficar mais organizada.

Realmente as escolas
Trafegam na contramão
Visto que nelas ninguém
Aprende a ser cidadão
Isso pela ineficácia
Que há na educação.

Se a educação fosse
Feita com prioridade
E cumprisse o seu papel
Com responsabilidade
Formando bons cidadãos
Para a sociedade
Só assim ela teria
Uma boa qualidade.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

CHUVA DE REPENTE

Hoje onze do mês é sexta-feira
A cultura apresenta mais valores
Com o brilho do show de cantadores
Um evento de arte de primeira
E na Festa da nossa Padroeira
A poesia tem alta envergadura
Cada um repentista aqui procura
Inspirar-se e cantar fluentemente
Vai cair uma chuva de repente
Sobre o palco da Feira da Cultura.

É a décima sexta edição
Deste tão esperado festival
Que da Feira é tradicional
Exaltando a cultura do sertão
Cantoria é a grande atração
Pela arte vibrante, nobre e pura
Cantar de improviso é uma bravura
Só a faz quem é muito inteligente
Vai cair uma chuva de repente
Sobre o palco da Feira da Cultura.

João Lourenço e Edvaldo Zuzu
Vão mostrar que a arte tem mistério
Os repentes de Miro e de Rogério
Vão dar eco na serra de Patu
Vem Zé Carlos de lá do Pajeú
Vila Nova no verso tem quentura
Iponax faz toda cobertura
Moacir e Erasmo estão na frente
Vai cair uma chuva de repente
Sobre o palco da Feira da Cultura.

Vai ter bom desafio em cantoria
Vai ter mote em tema sorteado
Vai ter décima em martelo agalopado
Vai ter ritmo em coqueiro da Bahia
Var ter mais novidade em poesia
Vai ter inspiração em toda altura
Vai ter festa, vai ter literatura
Vai ter ter declamação que atrai a gente
Vai cair uma chuva de repente
Sobre o palco da Feira da Cultura.

Autor: Zé Bezerra



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

ALTOS & BAIXOS


















Neste tempo pós-moderno
Tão cheio de novidades
Devido as desigualdades
Falta o pão em muitas mesas
Perante tantas nuanças
Existem muitas mudanças
Mas são poucas as certezas.

Enquanto avança a ciência
E a tecnologia
Fracassa a economia
Há falência nas empresas
Produzindo inseguranças
Existem muitas mudanças
Mas são poucas as certezas.

Mordomias, privilégios
Para as elites não faltam
Os que roubam e assaltam
Deixam vítimas indefesas
Em pânico e sem esperanças
Existem muitas mudanças
Mas são poucas as certezas.

Por todo lado as dúvidas
Tornam o mundo obscuro
É muita gente em apuro
Provocando incertezas
No futuro das crianças
Existem muitas mudanças
Mas são poucas as certezas.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 29 de agosto de 2015

DEVANEIOS DE POETA















Despertando, criando e formulando
No espaço que o tempo evidencia
As ideias vão sendo formatadas
Para a transformação em poesia
Com o texto a partir de um contexto
Seja em realidade ou fantasia.

O poeta possui a maestria
Mas às vezes não acha paradeiro
Vai compondo e delineando os versos
Num trabalho contínuo e rotineiro
Onde a arte poética é semelhante
Ao barro nas mãos de um bom oleiro.

Fica sintonizado o tempo inteiro
Na frequência da boa inspiração
Dando asas à criatividade
Na dinâmica da imaginação
Procurando da verve abstrair
O melhor para a sua produção.

Vai do sonho à realização
Devagar como quem escala um monte
Lá em cima se o estro esvaziar
Para abastecê-lo desce à fonte
Depois alça um voo parnasiano
Ao país sideral do horizonte.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

EDIFICAR A HORA

















Ser ativo, ser dinâmico
É próprio do ser humano
Que em seu cotidiano
Precisa desenvolver
Fazer mobilização
Que sem praticar ação
Não dá pra ninguém viver.

Um sujeito acomodado
Não avança, não se anima
Com a baixa autoestima
Tem a vida atrofiada
De um parasita não passa
Espera que outro faça
Porque ele não faz nada.

É muitas vezes um peso
Contenta-se com migalha
Se não ajuda, atrapalha
Em estado de impotência
É difícil que ele mude
Se não possui atitude
É fraco de consciência.

Tanto a mulher como o homem
Têm que ter forte perfil
Com ideal varonil
Sem declinar a cabeça
Firmes a edificar
A hora e nunca deixar
Que por si ela aconteça.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

SER DO BEM















Aproxime-se do outro
Estenda a mão, o ajude
Se ele está sem saúde
Sentindo dificuldade
Dê-lhe toda atenção
Desperte em seu coração
Sentimento de bondade.


Amenize o sofrimento
Da pessoa que padece
Veja que ela merece
Uma ação de caridade
E um gesto de compaixão
Desperte o seu coração 
Sentimento de bondade.

Não dê espaço ao ódio
Descarte a inveja e siga
Sendo uma pessoa amiga
Sem traços de falsidade
E sem discriminação
Desperte em seu coração
Sentimento de bondade.

Nunca explore seu próximo
Nunca cometa injustiça
Seja rival da preguiça
Da falta de honestidade
Do roubo, da corrupção
Desperte em seu coração
Sentimento de bondade.

Seja um indivíduo íntegro
Seja sempre acolhedor
Seja hospedeiro do amor
Seja âncora da amizade
Seja do bem, guardião
Desperte em seu coração
Sentimento de bondade.

Autor: Zé Bezerra

CONSCIÊNCIA CRÍTICA



















Vê-se gente que emite opiniões
Muito claras, de modo realista
Que dá para alguém ficar pensando
Que são coisas de quem é pessimista.

Mas quem tem consciência muito clara
Sua concepção  é verdadeira
Vê o mundo do jeito que ele é
E não tapa o sol com a peneira.

A pessoa que tem o senso crítico
O seu ponto de vista é bem formado
Nunca afirma que tudo vai dar certo
Se percebe que o barco está furado.

Então dê  expansão à consciência
Deixe alienação em câmara lenta
Sem escamotear, fale a verdade
Compactue com a realidade
Da maneira como ela se apresenta.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 15 de agosto de 2015

VIVER E SONHAR




















Cada um de nós precisa
De ter meta definida
Para isso é bom estarmos
Projetando a nossa vida
Assim para que se viva
Tendo expectativa
Pode chegar-se ao lugar
Do foco da aspiração
Com boa motivação
Para viver e sonhar.

Pela busca de motivos
Adquire-se firmeza
Munidos de otimismo
Foge-se da incerteza
Em meio ao cotidiano
Organiza-se o plano
Para da meta alcançar
Sua realização
Com boa motivação 
Para viver e sonhar.

Direcionando a vida
Pela ótica positiva
Vive-se uma trajetória
Mais significativa
Os sonhos sempre aparecem
E eles só permanecem
Quando a gente dá lugar
Para a organização
Com boa motivação 
Pare viver e sonhar. 

Então é bom que se ande
Num caminho mais seguro
Para dar passos mais firmes
Em direção ao futuro
Buscando maturidade
E responsabilidade
Para não desanimar
Nem seguir na contramão
Com boa motivação 
Para viver e sonhar.

Autor: Zé Bezerra


sexta-feira, 31 de julho de 2015

DESEMPREGO JUVENIL













É de quinze a vinte e nove anos
O período da idade juvenil
E já chega aos sessenta milhões
O montante de jovens no Brasil.

Grande parte dessa população
Por direitos empunha uma bandeira
Frente aos muitos problemas que afetam
Toda a juventude brasileira.

São os jovens que unidos vão à luta
Sempre com aguerrida atitude
No combate ferrenho ao desemprego
Que atormenta e afeta a juventude.

Quem governa o país não apresenta
Algo de solução eficiente
Para o desemprego juvenil
O descaso se torna evidente
E o problema aumenta a cada dia
Porque falta ao jovem a garantia
De um trabalho mais digno e mais decente.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 28 de julho de 2015

TAREFA DESAFIADORA

















Com pessoas de mal comportamento
Insensatas de altas rejeições
Passa a ser desafio ter com elas
Bom convívio e boas relações.

Também é desafio preservar
Mais afetividade em nossos dias
Em que muitos relacionamentos
Só ocorrem por tecnologias.

Amizades supermodernas são
Construídas por redes sociais
Sendo a todo momento etiquetadas
Pelas frias mensagens virtuais.

A tarefa é desafiadora
Para o nosso viver cotidiano
Porque a internet a cada dia
Vai gerando uma grande epidemia
Que sufoca e destroi calor humano.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 26 de julho de 2015

DA PERTURBAÇÃO À SERENIDADE














Muitas vezes ficamos assustados
Com tropeços e quedas que aparecem
Desatinos, conflitos, infortúnios
Coisas ruins que na vida acontecem.

Quando somos de vez nacauteados
Por desgosto, desprezo e desventuras
Precisamos buscar à luz da fé
O alívio das nossas amarguras.

A medida que somos consolados
Afugentam-se as tribulações
Somem todos os pontos negativos
Aperreios e preocupações.

Nessa hora importante percebemos
Que a nau da esperança nos escolta
A paz entra no nosso coração
E a felicidade está de volta.

Autor: Zé Bezerra


sábado, 25 de julho de 2015

MUNDO ASSUSTADOR
















Charles Chaplin nos faz pensar melhor
Pela sua visão elastecida
Reportando-se às adversidades
Nos aponta as claras realidades
Inerentes ao caminhar da vida.

Bom seria se cada ser humano
Conseguisse trilhar estradas boas
Porém infelizmente a injustiça
A desonestidade e a cobiça
Envenenam as almas das pessoas.

Tantas máquinas que nos aprisionam
Limitando a nossa inteligência
Insensíveis seguimos por caminhos
Que nos tornam grosseiros e mesquinhos
Portadores de ira e violência.

A crescente escassez de sentimentos
Torna o homem vazio e embrutecido
Se não desmoronar-se o egoísmo
E o ódio não for diminuído
Se o bem não puder ter seu reinado
E o mal atuar desenfreado
É da vez que o mundo está perdido.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 24 de julho de 2015

HUMANIDADE PLENA


















Quando um toque em nossa consciência
Nos impele a fazer a boa ação
De servir, ajudando a quem precisa
Isso é gesto de humanização.

Você pode portanto, humanizar-se
Especificamente no momento
Que descobre o rosto de alguém
Mergulhado em grande sofrimento.

Estender sua mão para a pessoa
Que espera a sua caridade
Apoiá-la nas horas mais difíceis
É um ato de plena humanidade.

Solidariedade, gentileza
União todo dia e todo ano
Disponibilidade em servir
Faz qualquer indivíduo evoluir
Para ser mais fraterno e mais humano.

Autor: Zé Bezerra


quinta-feira, 23 de julho de 2015

GENTE ALIENADA














Os modismos sociais
Vão crescendo a cada dia
Acerca disso comenta-se
A opinião sadia
De Sérgio Lasta, escritor
Profundo conhecedor
Sobre Psicologia.

Este psicólogo afirma
Com muita proficiência
Que neste tempo moderno
De avançada ciência
A internet presente
Vem causando a muita gente
Uma grande dependência.

Mudanças tecnológicas
Surgem a cada momento
A telefonia móvel
Evoluiu cem por cento
Essas coisas muito boas
Fizeram muitas pessoas
Mudarem o comportamento.

O multifuncional
Celular que hoje existe
É tão atraente que
Sem ele ninguém resiste
Passar nem sequer um dia
Porque assim ficaria
O resto da vida triste.

Isso gera um vício forte
Que a muita gente afronta
Grudados nos aparelhos
Ficam de cabeça tonta
Sem comer e sem falar
Pode o mundo desabar
Que ali ninguém se dá conta.

Adolescentes e jovens
Não conversam com seus pais
Tempo para estudar
Quase que não sobra mais
Pelo vício efervescente
Estão diuturnamente
Frente às redes sociais.

Hoje há muito isolamento
E pouca interação
Pelo whatsapp, os grupos
Fazem comunicação
Digitando teclas frias
Aumenta todos os dias
A massa conectada
Nesta pós-modernidade
Que faz a sociedade
Ficar mais alienada.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 11 de julho de 2015

AS FERAS MAIS TEMIDAS














Muitos indivíduos têm
Opiniões discrepantes
Admiram os desonestos
Elogiam os arrogantes
Apoiam e valorizam
As coisas mais aberrantes.

Acham que são relevantes
A rixa e a exclusão
O racismo e o machismo
E a discriminação
Aplaudem a ignorância
E a falta de educação.

Adeptos do insucesso
Veem o mundo menor
Apologistas do mal
Aguardam um caos maior
Porque defendem a tese
Do quanto pior, melhor.

Quem é assim desse jeito
É tomado de egoísmo
Ódio, ambição e inveja
Má vontade e pessimismo
Crueldade e tirania
Selvageria e sadismo.

Na hierarquia do mal
Eles são do alto clero
Dão nota dez para a guerra
Mas a paz, dão nota zero
Os seus ídolos são: Herodes
Binladen, Sadam e Nero.

São elementos perversos
Humanos só de aparência
Têm como lema na vida
Grosseria e inclemência
Brutalidade e soberba
Avareza e violência.

Assaltam, sequestram matam
Com revólver ou escopeta
Adversários de Deus
Aliados do capeta
Com certeza são as feras
Mais temidas do planeta.

Autor: Zé Bezerra




terça-feira, 7 de julho de 2015

AH, SE EU...


















Ah, se eu chegasse a ter
A inusitada dita
De ver a sociedade
Mais humana, mais bonita
Porque os governos dão
Para a educação
Prioridade irrestrita.

Ah, se eu visse os professores
Felizes, capacitados
Ministrando boas aulas
Sendo bem remunerados
As escolas melhorando
E o ensino apresentando
Os melhores resultados.

Ah, se eu visse os estudantes
Com mentes evoluídas
Interessados em ter
Boas lições aprendidas
Todos cheios de prazer
Vendo a escola poder
Transformar as suas vidas.

Ah, se pudesse enxergar
Mais altivez nos docentes
Disciplina nas escolas
Gestores mais competentes
E pais cheios de esperanças
Querendo que as crianças
Fiquem mais inteligentes.

Ah, se eu conseguisse ver
Crianças sendo letradas
Por aprenderem lições
Mais contextualizadas
Com o seu cotidiano
E ao fim do terceiro ano
Todas alfabetizadas.

Ah, se eu visse a escola
Evitar acontecer
Que muitos alunos saiam
Dela sem nada aprender
Cheios de desânimo e tédio
Indo pro ensino médio
Sem ler e sem escrever.

Ah, se eu visse nossa pátria
Sem desmando e desperdício
Onde escolas e famílias
Embora com sacrifício
Possam lutar de mãos dadas
Por crianças educadas
E juventude sem vício.

Autor: Zé Bezerra


terça-feira, 30 de junho de 2015

NÃO TAPE O SOL COM PENEIRA



















Falem da crise da Grécia
Que o "euro" ali virou rifa
Da lei dura da Indonésia
Da máfia que há na Fifa
Que Putim é dedo duro
E o presidente Maduro
É chavista de carteira
Digam pra o mundo saber
Não adianta querer
Tapar o sol com peneira.

Não adianta dizerem
Que o Brasil está bem
Tudo está sob controle
Coisa errada aqui não tem
Quem roubou foi pra prisão
Acabou-se a corrupção
E a crise brasileira
Já vai desaparecer
Não adianta querer
Tapar o sol com peneira.

Inoportuno é falar
Que o pior já passou
A inflação vai baixar
O desemprego parou
Que o povo está satisfeito
E o governo deu um jeito
De acabar a quebradeira
Só progresso vamos ter
Não adianta querer
Tapar o sol com peneira.

É lorota descabida
É conversa esfarrapada
De quem diz que a Lava Jato
É tudo coisa inventada
Que pior é na Argentina
Aqui não houve propina
Em contrato de empreiteira
Isso nunca aqui vai ter
Não adianta querer
Tapar o sol com peneira.

E se da maioridade
Aprovarem a redução
Será para a violência
Do país a solução
Que o menor trancafiado
Vai ficar recuperado
E a seleção brasileira
Não merecia perder
Não adianta querer
Tapar o sol com peneira.

Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 25 de junho de 2015

VEGETAÇÃO NORDESTINA


 











Mororó e jatobá
O coqueiro catolé
Pau d'arco, pé de coité
Oiticica, trapiá
Mofumbo, angico, jucá
Xique-xique, juazeiro
Unha de gato, pereiro
E urtiga cansansão
Compõem a vegetação
Do nordeste brasileiro.

Matapasto, mulungu
Umburana, maniçoba
Quina-quina, algaroba
Aveloz, mandacaru
Fedegoso, cumaru
Cajazeira, espinheiro
Macambira, umbuzeiro
Vê-se em todo sertão
Compondo a vegetação
Do nordeste brasileiro.

Alfazema, catingueira
Capim panasco, tingui
Jitirana, calombi
Jurema preta, aroeira
Sarça, velame, ingazeira
Muçambê e marmeleiro
Carnaubeira, oitizeiro
Babugem que cobre o chão
Compõem a vegetação
Do nordeste brasileiro.

Autor: Zé Bezerra

terça-feira, 16 de junho de 2015

SIM À PAZ, NÃO À GUERRA



















Para dar mais importância
E maior sentido à vida
A união entre os povos
Deveria ser mantida
Para que diariamente
Em cada um continente
A paz fosse construída.

A guerra foi e será
Para o mundo o grande mal
Sua ação destruidora
Gera efeito mundial
Atormenta e hostiliza
Só a paz revitaliza
O tecido social.

Deus quer que a paz exista
Entre cristãos e ateus
Entre as religiões
Entre ricos e plebeus
Entre gregos e troianos
Entre todos os humanos
A paz é o próprio Deus.

Como a guerra sempre foi
Invenção do satanás
Devia ser rejeitada
Pelos males que ela faz
Defendê-la não adianta
Não existe guerra santa
Só quem é santa é a paz.

Com relacionamento
Sadio vive-se bem
Priorizar o respeito
E o diálogo também
Manter a paz nas nações
São grandes obrigações
Que a humanidade tem.

A paz é branda e afável
A guerra é torpe e feroz
A paz emana do amor
A guerra é trágica e atroz
Vamos a paz promover
Para este mundo ser
Melhor para todos nós.

Autor: Zé Bezerra

domingo, 14 de junho de 2015

O GIGANTE ACORDOU



















O Brasil no seu berço eternamente
Em um sono profundo a ressonar
Nem sequer escutava o som do mar
Fosse em tempo de chuva ou de sol quente
Aos problemas estava indiferente
Mas a voz retumbante ecoou
De um povo aguerrido que gritou
Cujo eco invadiu o seu ouvido
O eterno gigante adormecido
Sacudiu a cabeça e acordou.

Foram tantas as mobilizações
Envolvendo a nação de sul a norte
Dessa gente soou um brado forte
Estrondando em muitas direções
No calor dessas manifestações
Acendendo esperança o sol brilhou
Nova expectativa começou
Pelo sono que foi interrompido
O eterno gigante adormecido
Sacudiu a cabeça e acordou.

O gigante ao sair da sonolência
Viu a crise da sua economia
Viu que o desemprego só crescia
E era muito alarmante a violência
Viu a educação em decadência
E a saúde também não melhorou
A segurança pública declinou
Viu o povo assustado com bandido
O eterno gigante adormecido
Sacudiu a cabeça e acordou.

Despertando do sono pôde ver
Descaminho, escândalo, corrupção
O aumento incômodo da inflação
O país emperrado sem crescer
Os políticos brigando por poder
E a dívida pública triplicou
As voz rouca das ruas ressoou
Ele ouviu do seu povo o alarido
O eterno gigante adormecido
Sacudiu a cabeça e acordou.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 13 de junho de 2015

O MESMO CAMINHO

















Foi Santo Antônio de Pádua
Quem afirmou certa vez
Que o bom caminho que leva
À verdade, à sensatez
Caminho restaurador
Que tem um duplo valor
Sua luz forte irradia
Para toda humanidade
O caminho da humildade
É o da sabedoria.

Quem é sábio e é humilde
Todo o seu ser consolida
Sobre um alicerce firme
Edifica a sua vida
Quem não carrega arrogância
Livra-se da ignorância
Possui a índole sadia
Adere à simplicidade
O caminho da humildade
É o da sabedoria.

O indivíduo orgulhoso
Menospreza o semelhante
Quer ser mais que o outro e tem
Comportamento pedante
Usa a discriminação
Só que vai na contramão
E muito se distancia
Da vida em comunidade
O caminho da humildade
É o da sabedoria.

É bom que o ser humano
Entenda perfeitamente
Que o homem para ser sábio
Não deve ser prepotente
Precisa pelo contrário
Ser com os outros solidário
Para que no dia a dia
Tenha mais felicidade
O caminho da humildade
É o da sabedoria.


Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 12 de junho de 2015

SABER X SABOR
















É uma obrigação
De quem atua ensinando
Estar sempre procurando
Agir com motivação
Para chamar a atenção
Tem que ser motivador
Dessa forma o professor
Faz o seu trabalho bem
Saber palavra que tem
Mesma raiz de sabor.

Para transmitir saber
Quem ensina deve estar
Disposto a otimizar
Sua prática com prazer
Para o aluno aprender
E ao estudo dar valor
Sendo um multiplicador
Por vinte, por trinta e cem
Saber palavra que tem
Mesma raiz de sabor.

Deve haver força e vontade
Pra buscar conhecimento
Com o aprendiz atento
Pela curiosidade
Sentindo felicidade
Tendo interesse e amor
Vendo como encantador
Tudo que o saber contém
Saber palavra que tem
Mesma raiz de sabor.

Saber pra ser procurado
Saber pra ser transmitido
Saber pra ser repartido
Saber pra ser alcançado
Saber pra ser praticado
Saber pra ser instrutor
Saber pra ser esplendor
Saber que vai e que vem
Saber palavra que tem
Mesma raiz de sabor.
Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 5 de junho de 2015

CONSCIÊNCIA PARA POUCOS












Porque existem pessoas
Que têm má educação
Há mares, praias, lagoas
Cheias de poluição
Nos rios apodrecidos
Cardumes são destruídos
Em consequência do mal
Que de longa data vem
Há pouca gente que tem
Consciência ambiental.

Um planeta mais saudável
São poucos os que constroem
Contudo é imensurável
A fúria dos que destroem
Está sempre a aumentar
A poluição do ar
Muito prejudicial
Seus efeitos vão além
Há pouca gente que tem
Consciência ambiental.

Desequilíbrios no clima
Em todas as regiões
Cada vez mais aproxima
A terra sofre o desgaste
Secas e inundações
Porque é grande o contraste
E o ser racional
Não faz sua parte bem
Há pouca gente que tem
Consciência ambiental.

Se a consciência é rara
Poucos estão em defesa
O ser humano não para
De agredir a natureza
Poluindo, incendiando
Com ambição desmatando
Faz essa prática ilegal
Não se importa com ninguém
Há pouca gente que tem
Consciência ambiental.

Autor: Zé Bezerra

sábado, 30 de maio de 2015

SERES SOCIAIS, SERES DE MUDANÇA

















Por termos raciocínio
Por sermos seres humanos
Por nossas metas e planos
Nossas açoes culturais
E termos necessidade
Da vida em comunidade
Somos seres sociais.

Porque nós somos capazes
De pensar e de criar
Aprender e ensinar
Termos fé e esperança
História e idealismo
Por todo esse dinamismo
Somos seres em mudança.

Por mantermos com os outros
Uma relação frequente
Por nosso jeito de gente
Que cria, organiza e faz
Pela ideologia
E a lida do dia a dia
Somos seres sociais.

Por sermos seres pensantes
Com nossos sentidos lógicos
Porque somos biológicos
Primeiro sendo criança
Partindo da meninice
Até chegar a velhice
Somos seres em mudança.

Por nossa alma e espírito
Por nosso senso e razão
A socialização
Visa bem-estar e paz
A todos e a cada um
Almejando o bem comum
Somos seres sociais.

Se somos inteligentes
E abertos aos inventos
Buscamos conhecimentos
Aguçamos a lembrança
Retemos informações
Construindo inovações
Somos seres em mudança.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 25 de maio de 2015

DISSO EU NÃO ABRO MÃO


Só ganhar quarenta mil
Isso pra mim é merreca
Preciso implantar cabelos
Porque já estou careca
Para melhor viajar
Um jatinho vou comprar
Que é bom ter regalia
Mesmo se o ganho dobrar
Não dá para dispensar
O AUXÍLIO MORADIA.

Minha rota de turismo
Eu faço regularmente
Cada vez eu gozo férias
Em um lugar diferente
O Tâmisa, acho bonito
As Pirâmides do Egito
O Farol de Alexandria
Isso fascina meu peito
Mas o bom é ter direito
AO AUXÍLIO MORADIA.

Fui lá na Casa de Óperas
Olhei as Torres Petronas
Roda do Milênio em Londres
Incluí nas maratonas
Voltando para o Brasil
Tenho que ter um perfil
De requinte e mordomia
Que só gente nobre tem
Então eu não fico sem
O AUXÍLIO MORADIA.

Quero que o povo entenda
Que sou desembargador
E não posso ser tratado
Por mero trabalhador
De privilégio preciso
Não posso ter prejuízo
Desculpe a democracia
Se chato eu pareça ser
Mas jamais posso perder
O AUXÍLIO MORADIA.

Se dos peões da justiça
Tiram gratificações
Isso é para que os nossos
Reajustes sejam bons
Hoje eu só ganho quarenta
Mas quero mais de cinquenta
Para ter mais garantia
E mais estabilidade
Eu tenho necessidade
DO AUXÍLIO MORADIA.

Cada final de semana
Com os filhos e a madame
Viajo para os States
Para compras em Miami
Compro paletós modernos
Porque usando esses ternos
Eu sinto muito alegria
E não tenho depressão
Mas é se não abrir mão
DO AUXÍLIO MORADIA.


Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 14 de maio de 2015

ALIANÇA PERMANENTE














Javé Deus está sempre a construir
Familiaridade com seu povo
E da humanidade o que ele quer
É a luta do homem e da mulher
Ajudando a criar um mundo novo.

É vontade de Deus que todo homem
Viva a vida com mais dignidade
Para isso é preciso o ser humano
Preencher seu viver cotidiano
Com prudência, justiça e liberdade.

Deus indica os caminhos mais seguros
Para nos desviarmos dos dilemas
Nos dá força na adversidade
Pela fé vem a possibilidade
De achar soluções para os problemas.

Jesus Cristo, o Deus Filho manifesta
Pela humanidade amor profundo
E depois de estar ressuscitado
Compromete-se ficar ao nosso lado
Caminhando até o fim do mundo.

Deus envia Jesus e Ele vem
Pra que todos possuam plena vida
O que ao homem compete, pouco avança
Mas da parte de Deus a aliança
Nunca foi e jamais será rompida.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 11 de maio de 2015

MÃE BOA















A mãe boa é pessoa merecida
De apoio e reconhecimento
Porque ela se doa cem por cento
Com amor sem limite e sem medida
No seu ventre é gerada nova vida
E ela vive essa etapa com vigor
Ao nascer a criança, há muita dor
Logo após tudo é felicidade
A mãe boa faz da maternidade
A ação mais sublime de amor.

É diferenciada essa pessoa
Que recebe ingratidão e ama
Não exclui, não condena, não difama
E se é ofendida ela perdoa
Age assim só aquela que é mãe boa
Que tolera se o filho errado for
É capaz de enfrentar o dissabor
Sem medir os efeitos da maldade
A mãe boa faz da maternidade
A ação mais sublime de amor.

Tem ternura e meiguice a mãe amável
Vive exclusivamente pra família
Se um da casa adoece faz vigília
Nos cuidados do lar é incansável
Tem a capacidade imensurável
De amar pela força interior
Sua vida é completa de primor
De carinho, de paz e de bondade
A mãe boa faz da maternidade
A ação mais sublime de amor.

Autor: Zé Bezerra

sexta-feira, 1 de maio de 2015

MAIS RESPEITO COM O TRABALHADOR

















Hoje os trabalhadores do país
Importantes direitos conquistaram
Pelas causas maiores que abraçaram
Numa luta por vida mais feliz
No entanto, há políticas hostis
Que provocam a infelicidade
Do trabalho não zelam a qualidade
Tiram do operário o seu valor
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.

O sistema hostil neoliberal
Defendido por toda a burguesia
Que trabalho é pra ser mercadoria
Pela ótica voraz do capital
E o trabalhador só se dá mal
Na pressão pela produtividade
Mas o seu ordenado na verdade
É mantido em nível inferior
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.

Do desenvolvimento da nação
O trabalho é a máquina propulsora
Esta classe protagonizadora
É preciso estar sempre em união
Pela força da organização
Pra lutar por justiça e liberdade
Mais salário, mais vida e igualdade
Sem haver distinção de sexo e cor
Mais respeito com o trabalhador
Quem trabalha é pra ter dignidade.

Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 27 de abril de 2015

POBREZA DE CONSCIÊNCIA

Realmente não é fácil
A conscientização
Devido a compreensão
Em estado de carência
Tornar o ser displicente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

São tantos seres humanos
Arredios ao dever
Não se constrangem em ter
Postura de incoerência
Parecem fracos da mente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

Em milhares de pessoas
Há escassez de bom senso
Por isso há descaso imenso
Desatenção, imprudência
Do sujeito negligente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

Esses que desobedecem
O que as leis determinam
Aqueles que abominam
A ordem, a obediência
Têm atitude indecente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

Muitas pessoas parecem
Que têm a cabeça oca
A compreensão é pouca
É fraca a inteligência
Recua e não vai a frente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

Todos os contaminados
Pela alienação
A falta de educação
Despreparo, inconsequência
Ignorância excedente
Isso é que faz muita gente
Ser pobre de consciência.

Autor: Zé Bezerra

quinta-feira, 23 de abril de 2015

LIVRO, FERRAMENTA PARA O SABER















É o livro uma obra literária
Ao leitor ele traz encantamento
Resultado de ideias compiladas
Fonte e base para o conhecimento.

Quanto mais é o livro utilizado
Há maior crescimento da leitura
Lendo mais as pessoas só promovem
O enriquecimento da cultura.

Seja livro poético ou científico
Cada qual tem seu público leitor
Seja clássico, infantil ou de ficção
Todos eles merecem ter valor.

Bom seria se as bibliotecas
Fossem diariamente visitadas
Com os livros mais lidos certamente
As pessoas seriam mais letradas.

Se o livro tivesse preferência
Fosse mais procurado cada dia
Nossa sociedade era melhor
Tendo um povo com mais sabedoria.

Autor: Zé Bezerra