quinta-feira, 18 de março de 2021

ELOGIOS À POESIA II

 Tendo sempre argumentos favoráveis

Ao buscar o calor desse mormaço

Em um voo suave no espaço

Bebo em fontes que são inesgotáveis

Onde as musas parecem incansáveis

Transmitindo ao poeta, a sinergia

Pela indissolúvel parceria

Num elã de ardência e emoção

Não faltando o calor da inspiração

Toda hora eu respiro poesia.











Essa arte em mim é permanente

Todo mês, todo dia, todo ano

Componente do meu quotidiano

Já se fez titular em minha mente

Se o verso não sai tão de repente

Mas escrito ele tem categoria

Muitas vezes está em sintonia

Com as puras origens do sertão

Não faltando o calor da inspiração

Toda hora eu respiro poesia.


Não faltando a vontade de sonhar

Não faltando a coragem para agir

Não faltando degrau para subir

Não faltando o  desejo de lutar

Não faltando uma luz para brilhar

Não faltando destreza e maestria

Não faltando a verve nenhum dia

Não faltando caneta em minha mão

Não faltando o calor da inspiração

Toda hora eu respiro poesia.


Autor: Zé Bezerra







Nenhum comentário: