sábado, 20 de dezembro de 2008

LÁ NO SERTÃO É ASSIM

O caboclo sertanejo
Convive em seu lugarejo
Do campo entende o manejo
Sabe encarar tempo ruim
Trabalhando no pesado
Cortando ração pra gado
O seu palco é o roçado
LÁ NO SERTÃO É ASSIM.

Esse homem de mão grossa
Sai cedo de sua choça
Para cultivar a roça
E a vazante de capim
Planta cana e bananeira
Dá duro a semana inteira
No domingo vai pra feira
LÁ NO SERTÃO É ASSIM.

Seu cardápio tem mistura
De feijão com rapadura
Às vezes é fava pura
E espécie de gergelim
Traíra assada e preá
Carne de peba ou jabá
Toucinho com macunzá
LÁ NO SERTÃO É ASSIM.

A cabocla nordestina
Passeia pela campina
Não gosta de ser granfina
Nunca usa trancelim
Desde os tempos infantis
Ela só quer ser feliz
E com muito orgulho diz
LÁ NO SERTÃO É ASSIM.

Autor: Zé Bezerra

Um comentário:

macia disse...

OI SEU ZÉ BEZERRA,EU GOSTO DE LER POESIAS,E GOSTEI MUITO DESSAS,CONTINUE ESCREVENDO,PARABÉNS!!!!!!!!!!!!MARCIA