quinta-feira, 20 de novembro de 2014

TER CONSCIÊNCIA NEGRA
















Este vinte de novembro
Faz que eu reflita bem
Por causa da cor da pele
Já discriminei alguém?

Se eu classifico o outro
Apenas pela aparência
Será que percebo que
Sou fraco de inteligência?

Se vez por outra eu demonstro
Ter atitude racista
Será que não sou um puro
Ignorante egoísta?

Mas se sei que branco e negro
Diferença isso não faz
Que cor de pele não deixa
Um menos e outro mais.

O negro não é culpado
De nascer com essa cor
Se sei que isso é verdade
Meu senso tem mais valor.

Reconhecer que o negro
É um ser como outro ser
O respeito a negritude
Ver isso como um dever
Essa Consciência Negra
O branco precisa ter.

Autor: Zé Bezerra

Um comentário:

Aurilene Vitória disse...

Ótimo poema! Vou apresentá-lo num trabalho da faculdade sobre o tema e essa poesia retrata tudo o que penso, como negra. Parabéns!