sábado, 15 de maio de 2010

ESPINHOS E ROSAS

Planos errados dão certo
Isso pode acontecer
Um oásis no deserto
É raro mas pode haver
Do escuro nascem brilhos
Pais ruins que geram filhos
Que são pessoas bondosas
Enfim sai gente sincera
De onde ninguém espera
ENTRE ESPINHOS NASCEM ROSAS

Este mundo que Deus fez
É tão bem feito e bonito
Há fartura e escassez
Paz contrapondo o conflito
Sucessos e descaminhos
Há indivíduos bonzinhos
Que se tornam maus fregueses
Por isso que algumas vezes
ENTRE ROSAS NASCEM ESPINHOS.

Entre vales surgem serras
Entre margens surgem pontes
Entre mares estão terras
Entre campinas há montes
Entre noites vem o dia
Entre turistas o guia
Entre versos saem prosas
Entre matas surgem antas
Entre pedras nascem plantas
ENTRE ESPINHOS NASCEM ROSAS.

Entre idosos há crianças
Entre céus há nevoeiros
Entre dores, esperanças
Entre medrosos, guerreiros
Entre provas saem notas
Entre vitórias, derrotas
Entre galhos surgem ninhos
Entre saberes há graus
Entre os bons nascem os maus
ENTRE ROSAS NASCEM ESPINHOS.

Autor: Zé Bezerra

Um comentário:

helena bezerra de araujo disse...

Muito bem pensada esta poesia,è uma raridade mas aqui ali se vê uma rosa entre espinhos.
De todas as estrofes as maiscaprichadas foram as duas últimas parece atè com as inspirações de Geraldo Amancio.